Clipping

Voltar

Aumento da prática de atividade física por mulheres que sobreviveram ao cancro da mama

26 de Junho 2012
Este projeto, desenvolvido por 3 estudantes de Fisioterapia da Escola anteriormente mencionada, consistia no aumento da prática de atividade física por parte de mulheres que tenham sobrevivido ao cancro da mama e que já tenham terminado os seus tratamentos. O programa foi constituído pela vertente Educacional e pela vertente Prática de Classes em grupo, cujos resultados finais são os seguintes:

Conclui-se que o Objetivo Geral (‘Promover o aumento de conhecimento sobre a prática de atividade física em sobreviventes ao cancro da mama e aumento da motivação para esta prática’) da Componente Educacional foi concretizado com sucesso, verificando-se que todas as participantes aumentaram a sua motivação e o seu conhecimento face à prática de atividade física desde a avaliação inicial à final (quer no que respeita aos benefícios desta prática e riscos inerentes ao sedentarismo, quer no que respeita às estratégias para que esta prática seja feita de forma autónoma). 

Verifica-se igualmente que o objetivo mais pertinente da componente Prática, e que melhor satisfaz a finalidade do projeto, foi alcançado em 100%, sendo que todas as participantes apresentam, no final do programa um nível de prática de Atividade Física moderado ou superior. Outro dos objetivos que satisfaz a finalidade do projeto é o aumento da Qualidade de Vida. O domínio que apresentou maior sucesso foi a QV associada à funcionalidade (67%), o que é bastante promissor, tendo em conta que esta é considerada uma das mais importantes componentes da Qualidade de Vida nos doentes oncológicos. 

A heterogeneidade do grupo, que poderia ser considerada uma adversidade neste tipo de programas, revelou-se bastante interessante e enriquecedora, por ter sido encarada com um desafio, permitindo explorar diversas valências de cada participante e principalmente porque permitiu às participantes desenvolver e demonstrar competências diferentes, consoante as suas capacidades, o que é fundamental num projeto que pretende alcançar elevados níveis de autonomia. Verificou-se igualmente um espírito de partilha e entreajuda no seio do grupo, que foi classificado como bastante positivo por todas as participantes.
Gostaríamos de agradecer à AMPM por todo o apoio prestado desde o início da construção do projeto e pelo acompanhamento durante a sua implementação. Agradece-se igualmente à Câmara Municipal do Barreiro pela disponibilização do espaço para a realização das sessões e um especial agradecimento ao Jornal Rostos que nos ajudou a divulgar o projeto, tanto na sua fase inicial como na sua finalização.
Por Rostos.pt a 15 de Novembro 2015

Voltar
Apoios & Parcerias