Clipping

Voltar

Cartão oferece desconto aos doentes oncológicos

20 de Outubro 2010
Foi, ontem, apresentado oCartão do Doente Oncológico, que garante aos doentes descontos em medicamentos.

Este cartão resulta de uma parceria do Núcleo Regional da Madeira da Liga Portuguesa Contra o Cancro e diversas entidades, entre elas, a Farmácia Funchal, a primeira a aderir ao projecto.

A apresentação do cartão decorreu no Dolce Vita, no Funchal, a que se seguiu uma palestra de sensibilização para a prevenção do cancro da mama.
Isabel Veiga França, presidente do Núcleo Regional explicou, na oportunidade, aos jornalistas, que “há já algum tempo que a Farmácia Funchal queria ajudar a Liga e esta foi uma das formas encontradas”.

Com este cartão, o doente oncológico aufere de um desconto de10% em quaisquer medicamentos adquiridos na Farmácia Funchal.
São muitos os doentes que irão beneficiar deste apoio. “Há muitos doentes oncológicos, cada vez mais, em termos da patologia da mama, todos os dias aparecem novos casos”, apontou a responsável.
Algumas farmácias fora do Funchal, como é o caso da de Santana, já manifestaram a intenção de aderir. A iniciativa está, igualmente, aberta a empresas de outras áreas.
Uma empresa na área da óptica já deu “luz verde”, neste sentido. A presidente do Núcleo Regional espera que outras mais o façam.
Qualquer cidadão, também, poderá ajudar a Liga. “Ao comprar na Farmácia Funchal, basta dizer que quer ajudar a Liga e 2.5% do total da compra em medicação reverte para a instituição”.
A medicação específica para os doentes oncológicos é disponibilizada no hsopital. “Acontece que o doente oncológico tem muitas doenças associadas”, explicou Marco Ribeiro, sócio-gerente da Farmácia Funchal.

Por esta razão, “necessita de suplementos alimentares que são muito caros, penso que aí a nossa ajuda será muito importante”, reiterou.

Tendo em conta que o dia 30 de Outubro é o Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Mama, o Núcleo Regional da Madeira da Liga Portuguesa Contra o Cancro, através do Movimento “Vencer e Viver” vai realizar uma caminhada, pelas 10 horas, que vai decorrer em simultâneo em várias localidades da Região.

A inscrição para a caminhada pode ser feita nos Centros de Saúde e Juntas de Freguesia e inclui um kit, no valor de três euros.Haverá uma concentração no Funchal, pelas 12 horas, seguida de uma acção de sensibilização.


Rastreio “cura” 80% dos casos de cancro da mama

O cancro da mama é o cancro com maior incidência na mulher. A Madeira não foge à disposição deste tipo de neoplasia, tal como no continente e na Europa. O número de novos casos detectados por ano na Região varia entre os 100 a 120 sendo que a taxa de cura é de 70% a 80% dos casos.

A contribuir para esta situação está o rastreio precoce. “Desde que o rastreio foi implementado e que funciona em articulação com a Unidade de Patologia Mamária desde 1999, é possível tratar em tempo útil estas mulheres e com taxas de sobrevivência, que é o que se tem vindo a verificar”, explicou Pedro Ramos, um dos médicos oradores na palestra promovida pelo Núcleo Regional da Madeira da Liga Portuguesa Contra o Cancro.

Esta iniciativa que teve lugar no Dolce Vita Funchal teve como objectivo sensibilizar para a “necessidade de consciencializar a mulher de que o rastreio é importante, é a melhor arma” porque, “ao detectarmos precocemente estas lesões, são curáveis”.

A RAM é uma das regiões do país onde o rastreio foi implementado de uma forma mais precoce, de maneira que “já temos uma ideia da situação aqui na Madeira”. Neste momento, apenas 10 regiões do país têm rastreio da mama implementado. Em 2011, as expectativas vão no sentido de que toda a população feminina portuguesa possa estar rastreada do cancro da mama.
Por Portal Net Madeira a 15 de Novembro 2015

Voltar
Apoios & Parcerias