Clipping

Voltar

Rastreio ao cancro colo-rectal na Madeira

23 de Abril 2010

O rastreio ao cancro colo-rectal foi apresentado quarta-feira pelo Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais aos parceiros na região da Madeira, avança o Jornal da Madeira.

Trata-se de um rastreio inédito deste tipo de carcinoma, feito a partir de uma nova técnica radiológica denominada colonoscopia virtual, e que tem início de forma gratuita, na Clínica de Santa Catarina, para voluntários entre os 50 e os 75 anos, que nunca tenham tido nem queixas nem cirurgias intestinais.

Segundo Celso Almeida, médico responsável pelo projecto de investigação na Madeira, a importância de uma adesão significativa de homens e mulheres ao rastreio prende-se com o facto de poder possibilitar um tipo de terapia menos intrusiva na detecção do cancro colo-rectal, actualmente o segundo mais mortal em Portugal, no que se refere à mortalidade oncológica.

Sobre o procedimento em estudo, o cirurgião explicou que “a colonoscopia virtual é uma forma de um ataque nominal, em que depois, através de um software apropriado, se faz uma reconstrução tridimensional do cólon e do recto e mimetiza as imagens da colonoscopia óptica sem ter de introduzir o endoscópio perano.”

Importante no combate à doença

Se os resultados ao rastreio forem positivos, ao nível da adesão, este projecto inédito no país poderá tornar-se muito importante no combate à doença.

Maurício Melim, responsável pelo Instituto de Administração da Saúde e Assuntos Sociais explicou que o trabalho que está a ser liderado por Celso Almeida, poderá ser usado como prevenção a nível regional.

“Quando olhamos para as taxas de mortalidade de 2005 e de 2006, verificámos que na região, há um acréscimo de mortes por este tipo de patologia”. Por isso, é “muito importante investirmos no rastreio”, adverte o especialista.

As pessoas com idades entre os 50 e os 74 anos, interessadas em aderir ao rastreio gratuito, podem fazê-lo a partir do telefone 291 743 563, ou através do site Rastreio do Cancro Colorrectal da Madeira.


Por POP a 15 de Novembro 2015

Voltar
Apoios & Parcerias