Voltar

André

25 anos Pulmão, 2016, Familiar
Vou deixar aqui mais um testemunho, a mim já não me ajuda mas pode ajudar alguém já que enquanto a minha mãe estava doente vinha muitas vezes ler os restantes testemunhos.
A minha mãe foi diagnosticada com tumor no cérebro em janeiro de 2016, ao qual foi operada e fez radioterapia em fevereiro. Veio a saber se que era cancro do pulmão e que já se tinha alastrado para o resto do corpo. Foi hospitalizada no início de março e veio a falecer no final desse mesmo mês.
O cancro fez a minha mãe partir e deixar-me sem ninguém, o meu pai já tinha falecido e agora tenho uma criança menor para cuidar, o meu irmão. Sinto tantas saudades, mas uma das coisas que me faz sentir melhor é que nestes 3 meses dei o máximo de mim: noites sem dormir, dias inteiros no hospital, vi a minha mãe todos os dias e isso faz me descansar um pouco melhor.
O meu conselho é que dêem o vosso máximo e qualquer coisa que tenham para fazer ou dizer que façam agora, amanhã pode ser tarde demais.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Há 8 meses atrás o meu pai foi ao hospital porque se sentia fraco, e apenas o fez por insistência minha e da minha família, ele nunca tinha estado...Letícia Cruz, 28 anos, Pulmão, 2012Ler mais
  • Em Julho de 2012 sentia-me mais cansada e sem vontade de fazer nada. Atribui ao facto de ter sido um ano muito intenso de trabalho e mesmo as dores no ombro...Cristina Alves, 52 anos, Pulmão, 2012Ler mais
  • Quando o meu marido me disse que tinha um tumor no pulmão senti o mundo a desabar. A vida continuava lá fora, da nossa casa, da nossa família, mas já...Ana Antunes, 46 anos, Pulmão, 2007Ler mais
  • Há um ano atrás assisti à morte do meu avô. Sinto-me lisonjeada por isso. Cancro no pulmão… fumava cerca de 4 maços de tabaco por dia. Após 35 anos...Nanci Carvalho, 19 anos, PulmãoLer mais
  • O meu tio (a quem eu era muito chegada) teve cancro do pulmão. A primeira vez, ele lutou e conseguiu vencer. Mas acabou por voltar. Eu (antes de sabermos...Adriana S.M, 14 anos, PulmãoLer mais
  • Este ano civil está a terminar. Como foi doloroso viver cada um dos dias que passaram. Quando olho para trás, vejo que estando viva, quis deixar de...Ana Antunes, 48 anos, Pulmão, 2006Ler mais
Apoios & Parcerias