Voltar

Maria do Carmo Ferreira

55 anos Mama, 2004, Doente
Exercendo a profissão de Professora do 1º Ciclo do Ensino Básico na minha aldeia, sempre realizei os exames de rotina no período de férias, a fim de evitar as faltas ao longo do ano letivo. Não tinha qualquer sintoma de doença. Sempre pensei que um diagnóstico precoce pode salvar a vida. Em agosto de 2004, ao realizar ecografia e mamografia foi-me diagnosticado algo na mama esquerda e efetuei uma biópsia. Passados 3 dias o pior confirmou-se “Carcinoma ductal invasivo”. É completamente indiscritível o que senti e ainda hoje sinto, ao recordar esse dia. Porém quero dizer-vos que fiz cirurgia conservadora e esvaziamento da axila a 27 de outubro desse ano, fiz 32 sessões de radioterapia e iniciei o tratamento com Tamoxifeno. Passei a ser seguida nas consultas de Quimioterapia onde ainda continuo. Estou bem, graças a Deus, e nunca desanimei. Sinto uma vontade enorme de alertar para a necessidade de realizar exames médicos periódicos. Muita força e coragem para todos os doentes e seus familiares que possam vir a ler este meu testemunho.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Foi-me diagnosticado um tumor maligno em 2007 fui operada e foi-me tirado o peito. É uma luta grande que se tem que enfrentar, não há volta a dar vamos...Debora Krippahl, 51 anos, Mama, 2007Ler mais
  • A todos aqueles que percorreram o caminho mais sinuoso do mundo... A todos aqueles que o estão a percorrer... A todos aqueles que o irão percorrer......Adília Carvalho, 50 anos, Mama, 1997Ler mais
  • Caiu uma bomba! Não sei exatamente o dia, sei que era um sábado antes do dia do Pai! Primeiro neguei até conseguir uma confirmação do que vinha no...Joana, 38 anos, Mama, 2015Ler mais
  • Olá a todos! Não é fácil para mim ainda hoje falar nesta maldita doença. Mas tenho a dizer que a medicina e os Hospitais...Anónimo, 46 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Deixo aqui muita força a todos aqueles que estão a passar por esta experiência.anabela franco, 54 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Poupo-vos os detalhes, o susto, o sofrimento, enfim tudo aquilo por que passam todos os que são confrontados com um qualquer tipo de cancro. A minha...anónimo, 55 anos, Mama, 2009Ler mais
Apoios & Parcerias