Porque quem precisa, precisa de nós!

Contribua com o seu donativo

Novembro Azul [mês de prevenção do cancro da próstata]

Novembro Azul

Se em todo o mundo o mês de outubro é dedicado à saúde da mama, durante o mês de novembro o foco é a consciencialização para a saúde do homem, muito em especial, a prevenção e diagnóstico precoce do cancro da próstata. ​​

A próstata é uma glândula com uma dimensão semelhante à de uma noz e que se situa na pélvis, abaixo da bexiga, na frente do reto e atrás da base do pénis, e que envolve a uretra, o tubo que conduz a urina e o sémen do interior até ao exterior do pénis. A próstata, em conjunto com as vesículas seminais, é o órgão responsável por produzir o sémen.
O cancro da próstata é, atualmente, o mais frequente no homem.

​Estima-se que em Portugal, durante o ano 2020, tenham surgido 6.759 novos casos de cancro da próstata. As estimativas
(Globocan, 2021) indicam que em 2040 esse número ascenda a 8.216, a que corresponderá a um aumento de 21,6%.



Cancro da próstata: fatores de risco

Apesar de ser o tumor maligno mais frequente nos homens o cancro da próstata diferencia-se dos outros tipos de cancro pela sua lenta evolução e à tardia manifestação dos primeiros sintomas. 

​Estão identificados alguns fatores associados a um maior risco de vir a sofrer da doença, dos quais se destacam: 
  • A idade: Mais de 70% dos cancros detetados afetam homens com mais de 65 anos;
  • Fatores genéticos: Os homens que tenham um familiar com cancro da próstata têm uma maior probabilidade de sofrer desta doença, principalmente quando diagnosticada antes dos 60 anos. Quanto maior o número de familiares próximos com cancro da próstata, maior o risco de sofrer desta doença;
  • Fatores hormonais: alguns estudos indicam que há fatores hormonais que contribuem para o desenvolvimento de cancro da próstata;
  • Fatores ambientais: A contaminação atmosférica, a poluição e a exposição a algumas substâncias químicas e fertilizantes, por exemplo. Alguns indícios sublinham que dietas ricas em frutas e em vegetais podem ter um efeito protetor e que o consumo habitual de alimentos ricos em gorduras animais pode aumentar o risco de desenvolvimento de cancro da próstata. O défice de vitamina D e o consumo de álcool poderão, também, ser fatores prejudiciais, apesar de ainda não estar cientificamente provado;

O cancro da próstata caracteriza-se pela sua lenta evolução. Tendo isto em conta, os seus sintomas podem demorar anos até se manifestarem. De qualquer forma, os sintomas associados a alguns casos de cancro da próstata podem manifestar-se inicialmente através de perturbações a nível da micção:

  • Incapacidade em urinar;
  • Urinar mais frequentemente, especialmente durante a noite;
  • Urinar em pequenas quantidades;
  • Sentir dor pélvica ou ter incontinência urinária;
  • Urinar sangue.


Além destes sintomas, podem existir outros sintomas menos frequentes como:
  • Dor frequente na parte de baixo das costas, quadris e da parte alta dos músculos;
  • Dor ao ejacular;
  • Presença de sangue no sémen.

Cancro da próstata: diagnóstico precoce​

O cancro da próstata é uma doença geralmente silenciosade evolução lenta e assintomática (sem sintomas), na qual, o aparecimento de sintomas pode ser sinal de doença avançada. Detetá-lo numa fase precoce é essencial, pois permite tratar com uma taxa de cura muito elevada. Deve aconselhar-se com o seu médico sobre como fazer este diagnóstico. 

O cancro da próstata pode ser diagnosticado através de exames médicos específicos, como sejam a realização de um exame digital (com palpação da próstata através de toque retal) e de uma análise sanguínea a um marcador, o PSA (Antígeno Específico da Próstata). Com estes exames é possível detetar-se a doença antes do aparecimento dos sintomas.

Como em todas as doenças oncológicas, o diagnóstico precoce é fundamental para melhores resultados do tratamento, melhor e maior sobrevivência e menor probabilidade de morte.  


Página Inicial
Apoios & Parcerias