Voltar

A. Rita

14 anos Pâncreas, 2015, Familiar
Nunca me tinha interessado assim tanto em saber mais sobre o cancro. Mas às duas por três, e quase sem eu dar conta, o meu tio-avô, há cerca de 2 anos, desenvolveu um cancro no pâncreas.
Fez na passada quinta feira um ano, que mais uma estrelinha foi na missão de iluminar o meu caminho. Mesmo depois de cumprir todo o plano de tratamento, as forças foram-se-lhe apagando, já nem força para comer ele tinha. Quem o acompanhava diariamente, a esposa, psicologicamente, também estava igualmente mal. Foi uma luta muito injusta.
Estava destinado a partir. A cada dia as coisas iam piorando.
Para eles os dias pareciam horas, o tempo já não passava. Era isso que a doença queria fazer passar, porque afinal o tempo passou e o meu tio partiu. Deixando assim uma esposa, uma filha, uma neta, sobrinhas para trás.
Tenho saudades. Sei que ele não gostaria de me ver chorar, mas às vezes tudo fala mais alto, tal como neste momento, e a força para fazer o que ele gostaria é escassa.
Tio, estejas onde estiveres, este textinho aqui no site da Liga Portuguesa Contra O Cancro é para ti.
Amo-te muito! Descansa em paz! Até sempre!
________________

E a todos aqueles que enfrentam ainda o cancro, desejo e dou da minha, muita, mas mesmo muita força. Os desfechos não são todos iguais. Eu sei que vocês conseguem! A esperança é a última a morrer e apesar de fraco, eu sei que o meu tio também ainda tinha esperança.
Por favor estejam atentos e não deixem que o cancro tenha hipóteses de se desenvolver.
 
Voltar

Outros Testemunhos

  • Em janeiro de 2010 foi diagnosticado cancro do pâncreas à minha mãe, com 51 anos. Na altura, ela estava a fazer exames de rotina devido a grande parte...Sónia, 25 anos, Pâncreas, 2010Ler mais
  • O meu pai queixava-se há alguns dias de cansaço. Mas para alguém que trabalhava quase 12 horas por dia, mais não podia do que ser normal. Um dia...Ana Fazenda, 30 anos, Pâncreas, 2010Ler mais
  • Fez na semana passada 2 meses. Dois meses que passaram desde o último dia em que vi o meu pai, um homem que sempre foi saudável. Foi bom saber que, nesse...Andreia, 24 anos, Pâncreas, 2014Ler mais
  • O meu pai era hipertenso. E, por isso, muito lamechas! Tinha medo de morrer! Quando, no mês de julho do ano passado, começou a queixar-se de uma forte dor...Rute Chamiço, 35 anos, Pâncreas, 2012Ler mais
  • No início de abril de 2014, o meu pai, médico de 55 anos, ligou-me e disse que lhe tinha sido diagnosticado um tumor de pâncreas,...Rita Frade, 30 anos, Pâncreas, 2014Ler mais
  • Olá, o meu nome é Isabel Leonor, mas toda a gente me trata por Belinha, e venho falar do meu pai, Santiago Leonor, que foi doente oncológico. É muito...Isabel Leonor, 38 anos, Pâncreas, 2011Ler mais
Apoios & Parcerias