Voltar

Adriana S.M

14 anos Pulmão, Familiar
O meu tio (a quem eu era muito chegada) teve cancro do pulmão. A primeira vez, ele lutou e conseguiu vencer. Mas acabou por voltar. Eu (antes de sabermos que tinha voltado) dizia-lhe para ele deixar de fumar porque só lhe ia trazer problemas. Eu era uma criança mas gostava tanto dele que me preocupava mais do que ele se preocupava com ele mesmo! Ele nunca me ligou e eu, infelizmente, acabei por estar certa. O cancro voltou e eu fiquei de rastos. Apesar de ele ter morrido (porque estava muito avançado e ele tinha tido complicações), lutou com todas as forças contra a doença uma vez mais. E nunca perdeu a esperança! Oiçam as pessoas que vos querem bem, pois muitas vezes querem-vos ajudar! Nunca desistas e apoia-te sempre nas pessoas que te querem bem! A esperança é a última a morrer e vocês vão vencer a doença porque serão mais fortes que ela!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Sou uma doente oncológica desde 2005, ano em que me foi diagnosticado cancro do pulmão. Fui operada e fiz tratamentos de quimioterapia. Em julho de 2010...Maria Serrano, 53 anos, Pulmão, 2005Ler mais
  • Quando o meu marido me disse que tinha um tumor no pulmão senti o mundo a desabar. A vida continuava lá fora, da nossa casa, da nossa família, mas já...Ana Antunes, 46 anos, Pulmão, 2007Ler mais
  • Foi nos princípios de 2011 que fiz um TAC abdominal porque tenho diabetes, para ver como estavam os rins e outros órgãos. Foi com surpresa que apareceu a...José Alves, 67 anos, Pulmão, 2011Ler mais
  • Foi-me diagnosticado um tumor no pulmão esquerdo em julho de 2009. Foi-me dito que apenas se poderia fazer tratamento, pois a cirurgia era inviável devido...Augusto Lourenço, 70 anos, Pulmão, 2009Ler mais
  • Há 8 meses atrás o meu pai foi ao hospital porque se sentia fraco, e apenas o fez por insistência minha e da minha família, ele nunca tinha estado...Letícia Cruz, 28 anos, Pulmão, 2012Ler mais
  • Este ano civil está a terminar. Como foi doloroso viver cada um dos dias que passaram. Quando olho para trás, vejo que estando viva, quis deixar de...Ana Antunes, 48 anos, Pulmão, 2006Ler mais
Apoios & Parcerias