Voltar

ana

27 anos Sarcoma, Familiar
Corria o ano de 2009 quando foi diagnosticado osteosarcoma no pulso ao meu namorado. Quando recebemos uma notícia destas ficamos em choque e sem saber que pensar ou fazer... Lembro-me de pensar que ele iria ultrapassar isto. Nunca devemos subestimar esta doença, mas também nunca devemos deixar que ela nos pise. Encarei esta situação, nada fácil, de frente, e nem foi preciso ajudar o meu namorado nesse sentido, porque ele, apesar dos seus 20 anos, fez o mesmo sem qualquer tipo de problema. Era incrível ver a forma como encarou o diagnóstico, os tratamentos... Era heroica a forma como ele encarava a situação. Fez três tratamentos de quimioterapia de 3 semanas cada um, que implicavam o internamento. No fim das 3 semanas, com duas semanas de intervalo entre cada uma, chegou mais uma batalha, a operação. Os médicos, de acordo com os exames feitos após quimioterapia, já tinham a intervenção delineada, no entanto falaram que tudo dependia do que encontrassem depois de aberto o pulso, e que a amputação não estava totalmente posta de parte, mais um choque que rapidamente ele superou, pensando que o que quer que acontecesse era para o seu bem. O dia da operação foi horrível, foram 7h de operação, a angústia era de mais, mas felizmente correu pelo melhor. Após a operação realizou mais quimioterapia, terminando o processo 9 meses depois de ter iniciado. Hoje olho para trás e parece que foi ontem e afinal já lá vão 2 anos. Aprendemos a viver dia a dia, prometemos um ao outro que iriamos aproveitar cada momento das nossas vidas e usar essa fase menos boa como um fortalecimento para a nossa relação. Conhecemos muita gente quando passamos por isto, gente amiga, gente com quem celebramos, gente que já não está entre nós, gente que nos mostrou que podemos não vencer, mas nunca desistimos! A todas as pessoas que estejam a enfrentar este mal terrível não entrem na cena de perguntar o “Porquê?”, pois nunca vão encontrar respostas e estão a desperdiçar energia que vai dar jeito para enfrentar o bicho! Muita saúde, coragem para todos.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Olá! O meu nome é Linda Teles e tenho 28 anos. Sou doente oncológica desde os meus 13 anos, embora os sintomas se tenham iniciado quando tinha 8. Tenho...Linda Teles, 28 anos, Sarcoma, 1996Ler mais
  • Não gosto da palavra cancro, é uma palavra muito negativa. Para mim o sinónimo de cancro não é morte, sofrimento, dor, mas sim esperança, vontade de...Mário Fernandes, 30 anos, Sarcoma, 2002Ler mais
  • Tive oportunidade de ler os testemunhos publicados nesta página e identifiquei-me com vários exemplos, pelo que não resisti em falar sobre toda a...Lara Castro, 21 anos, Sarcoma, 2008Ler mais
  • Olá! Poderia começar por dizer: "Olá, sou o Marco! Tenho 28 anos...", estas coisas assim. Mas não. Não estou aqui para isso. Estou aqui para vos dar...Marco Teixeira, 28 anos, Sarcoma, 1996Ler mais
  • Tinha 9 anos quando me foi diagnosticado um sarcoma de Ewing. É um cancro ósseo que surge em crianças entre os 7 e os 10 anos. O meu caso foi no fémur...Sara Pinheiro, 34 anos, Sarcoma, 1986Ler mais
Apoios & Parcerias