Voltar

Ana Carvalho

36 anos Pulmão, 2004, Familiar
Em 2000 foi diagnosticado ao meu pai cancro colo-rectal já em fase avançada mas, apesar da pouca esperança, ele venceu de uma forma surpreendente. Com dor, mas venceu. Após essa fase, voltou a aparecer em 2004 num pulmão, foi outra vez operado e mais uma vez venceu. Em 2007 novamente no outro pulmão, mais cirurgia e quimioterapia e radioterapia, tudo de novo e venceu. Em 2010 lá estava ele novamente com metástases em ambos pulmões e paragem de um rim, que ficou intoxicado. Esta fase foi talvez a pior pois eu ia-me casar e não podia cancelar, pois estava a desistir dele. Fomos em frente e o meu pai só dizia aos médicos que queria estar bom para o casamento da filha e batizado do netinho. Teve tanta coragem e força que mais uma vez venceu e, dois dias antes, lá estava ele com o rim a funcionar. Foi um dos dias mais angustiantes mas também mais felizes, vê-lo a levar-me ao altar. Chorei tanto de tanta alegria. Tê-lo ali foi maravilhoso e dei tanto valor pois não era só o meu pai a levar-me ao altar, era o meu pai “com saúde”. Desde então tem sido uma luta constante de idas ao médico, mais e mais tratamentos de quimioterapia oral. Sabemos que um dia a luta vai acabar e parece que está próxima, infelizmente. Para quem está a viver esta luta e para os familiares, vejam este exemplo de luta e, apesar de tudo, ele ainda não desistiu, nem nós família que se já lhe dávamos tanto valor ficamos a amá-lo ainda mais e mais. Felizmente nunca fumou, o que facilita bastante as recuperações. Muita coragem e apoio e não se deixem vencer jamais. Amo-te pai por seres tão forte e corajoso um exemplo de ser humano e de lutador.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Vivi intensamente esta doença através do meu pai a quem foi diagnosticado um cancro pulmonar em 2005. Venceu algumas batalhas mas a sua luz apagou-se em...Joaquim Moreira, 36 anos, Pulmão, 2005Ler mais
  • Neste ano de 2012, foi diagnosticado ao meu pai cancro no pulmão com metástases na cabeça. Estava a trabalhar no Algarve quando o meu pai começou a...Sandra Félix, 30 anos, Pulmão, 2012Ler mais
  • Recomeçar não é mais que isso mesmo - voltar a começar. Voltar a começar algo que deixou de ter continuidade, que ficou perdido ou que deixou de fazer...Ana Antunes, 48 anos, Pulmão, 2006Ler mais
  • Tudo parecia tão beloNuma cumplicidade de emoções Amor queridoSentidoTernoRepleto de verdadeiras sensações Tudo parecia longínquo ...Filipe Fenandes, 32 anos, Pulmão, 2009Ler mais
  • Em Janeiro de 2016, foi diagnosticado cancro de Pulmão ao meu Pai, com "ramificações" na cabeça e fémur. Os...Mónica Fernandes, 36 anos, Pulmão, 2016Ler mais
  • Passaram três anos desde que o meu marido partiu. Já vivi 1114 dias sem a sua presença física. Foram dias muito duros. Foram dias em que mostrei uma...Ana Antunes, 47 anos, Pulmão, 2006Ler mais
Apoios & Parcerias