Porque quem precisa, precisa de nós!

Contribua com o seu donativo
Voltar

Ana Rita Ferreira

43 anos Mama, 2014, Doente
Em maio deste ano foi-me diagnosticado cancro da mama. Sem qualquer antecedente familiar e sem outros fatores de risco (sou mãe de 3 rapazes, amamentei, faço exercício...) levei um grande murro no estômago! Passadas 2 semanas, fui operada e agora sinto-me muito bem fisicamente. Agradeço do fundo do meu coração ao cirurgião que me operou, um médico preocupado, atento e profundamente humano...esta é uma das pessoas que passou pela minha vida e que ficará para sempre. Quando recebi a notícia e mesmo nos dias seguintes andava meia “anestesiada” e quando falava com algumas pessoas, médicos e amigas, todos me diziam que o tempo que se segue à operação é muito importante. Na altura não entendia e pensava que era preciso ser operada e depois logo se vê! O amanhã era, na altura, longínquo e eu estava concentrada no presente. Agora vejo o difícil que é a incerteza, o não poder arrumar o assunto e dizer já está, ultrapassei, estou curada!Sei que esta é uma nuvem cinzenta que me acompanhará para sempre mas, também sei que estou viva, fisicamente bem e que tenho uma família que me adora. Aprendi à força que não sou imortal (como é possível que passemos grande parte das nossas vidas a achar que o somos!) e que a vida é para ser vivida no presente e não no futuro pois o amanhã é incerto para todos.Não me considero uma lutadora, nem que tenho que vencer seja o que for… o que tenho é que continuar a manter-me saudável, alimentar-me bem, fazer exercício físico e tentar acreditar que a sorte me irá continuar a acompanhar.O que procuro agora é encontrar a serenidade (palavra fácil de escrever mas tão difícil de conseguir) para continuar a viver a minha vida o melhor que sei e continuar a tentar, não me distrair da vida pois ela pode passar sem eu dar por ela...sejam felizes e vivam!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Foi em 2006 que foi diagnosticado à minha mãe um cancro maligno da mama. O choque da notícia foi enorme mas com muito apoio da minha parte, ela superou...Vera Pereira, 29 anos, Mama, 2006Ler mais
  • E um dia tudo muda... Estudava para um teste de psicologia quando a minha mãe entrou em casa de olhos baixos, era qualquer coisa, não sabia bem, vieram as...Sandra Jorge, 34 anos, Mama, 1995Ler mais
  • Faz dois anos (2010) em que foi diagnosticado um cancro no peito da minha esposa, não aceitou o problema que tinha e mentiu. Lembro como se fosse hoje: fui...JOAO, 36 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Fui mãe recentemente, um bebé muito desejado por mim e pelo meu marido. Eu tinha uma má formação nos órgãos femininos que me colocava alguns entraves...Isabel Patricia, 29 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Poupo-vos os detalhes, o susto, o sofrimento, enfim tudo aquilo por que passam todos os que são confrontados com um qualquer tipo de cancro. A minha...anónimo, 55 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Com 39 anos, sem saber porquê, sem sequer ter feito mamografias, fiz uma mastectomia radical a um peito. Hoje passados 34 anos aqui estou bem graças a...Maria gambino, 72 anos, Mama, 1979Ler mais
Apoios & Parcerias