Porque quem precisa, precisa de nós!

Contribua com o seu donativo
Voltar

Andreia

27 anos Mama, 2009, Familiar
A minha avó partiu a 14 de março deste ano com 84 anos. Foi-lhe diagnosticado um cancro da mama. Um cancro feroz, atípico para a idade dela. Fez uma mastectomia. Suportou a radioterapia e sessões de quimioterapia. Quando lhe perguntava das idas ao IPO ela lamentava sempre o número de crianças que lá via, tão ou mais doentes do que ela. Era assim a minha avó. O tempo foi passando e a luta parecia ter terminado. Até que ao fazer os exames de rotina descobriram que o cancro já estava em todo o lado, contra todas as previsões dos médicos. Ficou acamada, mas sempre tratada com muito amor e carinho por parte dos filhos, das noras, dos genros e dos netos. Era, apesar de todo o seu sofrimento, muito paciente. Quando chegava para a ver e as minhas tias lhe perguntavam: “Você sabe quem está aqui?” E eu falava-lhe: “Então avó, você tem-se portado bem?” E ela logo dizia: “É a minha Andreia!” Pois essas palavras partiam-me o coração. Para o final já quase não falava. Estive com ela no domingo à noite. Segunda de manhã ela partiu, o meu pai estava com ela e as minhas tias. Quando a fui ver tinha um ar tão pacífico! Meu Deus, não há um só dia em que não sinta a sua falta! Passo por casa dela todos os dias a caminho do trabalho e muitas vezes, tantas, penso: “Logo vou passar por casa da avó” e depois lembro-me que ela já lá não está... A minha avó foi um exemplo de coragem, de luta. Espero que um dia se encontre uma cura para esta doença maldita que tanto sofrimento causa! Força para todos os que estejam a passar por um cancro, força a todos os familiares e amigos, não desistam. Para a minha avó, a minha segunda mãe, amo-te muito e sinto muito a tua falta.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Com 39 anos, sem saber porquê, sem sequer ter feito mamografias, fiz uma mastectomia radical a um peito. Hoje passados 34 anos aqui estou bem graças a...Maria gambino, 72 anos, Mama, 1979Ler mais
  • Descobri dia 13 de março de 2019 que tinha um carcinoma invasivo (…). Fiquei e ainda estou de rastos. (…) mas penso que é uma...Carolina, 29 anos, Mama, 2019Ler mais
  • Decorridos oito anos, ainda consigo trazer para o papel um percurso duro na sua essência mas repleto de força, a força que nos chega das gargalhadas que...Fátima Bernardo, 47 anos, Mama, 2007Ler mais
  • Quando estamos perante o diagnóstico de cancro, em nós ou nos nossos entes queridos, tudo à nossa volta parece desmoronar-se e subitamente sentimo-nos...Maria, 55 anos, Mama, 2010Ler mais
  • É verdadeiramente assustador receber a noticia de que temos cancro.O mundo pára. Por momentos perdi a noção real das coisas....Maria Neves, 58 anos, Mama, 2019Ler mais
  • Em 2003 fui surpreendida com um cancro da mama, mas posso dizer que além do choque existia uma leve calma. Fui operada três vezes em apenas 4 meses. Tive...Manuela Moreira, 49 anos, Mama, 2003Ler mais
Apoios & Parcerias