Voltar

Andreia

27 anos Mama, 2009, Familiar
A minha avó partiu a 14 de março deste ano com 84 anos. Foi-lhe diagnosticado um cancro da mama. Um cancro feroz, atípico para a idade dela. Fez uma mastectomia. Suportou a radioterapia e sessões de quimioterapia. Quando lhe perguntava das idas ao IPO ela lamentava sempre o número de crianças que lá via, tão ou mais doentes do que ela. Era assim a minha avó. O tempo foi passando e a luta parecia ter terminado. Até que ao fazer os exames de rotina descobriram que o cancro já estava em todo o lado, contra todas as previsões dos médicos. Ficou acamada, mas sempre tratada com muito amor e carinho por parte dos filhos, das noras, dos genros e dos netos. Era, apesar de todo o seu sofrimento, muito paciente. Quando chegava para a ver e as minhas tias lhe perguntavam: “Você sabe quem está aqui?” E eu falava-lhe: “Então avó, você tem-se portado bem?” E ela logo dizia: “É a minha Andreia!” Pois essas palavras partiam-me o coração. Para o final já quase não falava. Estive com ela no domingo à noite. Segunda de manhã ela partiu, o meu pai estava com ela e as minhas tias. Quando a fui ver tinha um ar tão pacífico! Meu Deus, não há um só dia em que não sinta a sua falta! Passo por casa dela todos os dias a caminho do trabalho e muitas vezes, tantas, penso: “Logo vou passar por casa da avó” e depois lembro-me que ela já lá não está... A minha avó foi um exemplo de coragem, de luta. Espero que um dia se encontre uma cura para esta doença maldita que tanto sofrimento causa! Força para todos os que estejam a passar por um cancro, força a todos os familiares e amigos, não desistam. Para a minha avó, a minha segunda mãe, amo-te muito e sinto muito a tua falta.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Olá amigos! Vou começar por dar o meu testemunho, que no fundo terá algo em comum com várias pessoas que, tal como eu, estão a passar ou passaram por...Ana Mateus, 52 anos, Mama, 2011Ler mais
  • Em junho de 1991, depois de uma mamografia, por causa de um pequeno “altinho” na parte inferior da mama esquerda, que teimava em não desaparecer, li no...Gabriela, 57 anos, Mama, 1991Ler mais
  • Neste meu testemunho não é minha intenção descrever os medos, as angústias, os receios ou o desânimo que por vezes teimam em nos perseguir. Tenho por...Maria Peixoto, 37 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Conheci o cancro na primeira pessoa há um ano atrás. Há um ano e um mês que convivo diariamente com ele, trato-o por tu, mas recuso-me a deixar que ele...Anita Chouriço, 39 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Olá. Eu também já lutei contra o cancro da mama, hoje sou uma vencedora pois já passaram 5 anos e dia 23 soube da grande notícia: já fazia parte do...Anónimo, 47 anos, Mama, 2007Ler mais
  • Pediram-me para dar testemunho da minha caminhada, eu diria da travessia do deserto. Ao longo deste percurso experimentamos todas as transformações, quer...António Tinoco, 56 anos, Mama, 2010Ler mais
Apoios & Parcerias