Voltar

Anita Chouriço

39 anos Mama, 2010, Doente
Conheci o cancro na primeira pessoa há um ano atrás. Há um ano e um mês que convivo diariamente com ele, trato-o por tu, mas recuso-me a deixar que ele me trate a mim. Tenho a maior razão do mundo para me manter viva: tem 10 anos e é a minha filha Noémia. Deixo o meu testemunho para que nos dias de inverno, dor, falta de paciência, desalento, que o cancro vos possa dar, levantem bem alto a bandeira da esperança, recusem-se a ser vencidos! Comam muitos alimentos verdes e coloridos e tentem fazer todos os dias algo que vos deixem felizes. Ajuda e muito a vencer o cancro! Façam tudo o que o cancro não gosta: brinquem com a vida, sorriam com os vossos amigos e familiares, lutem. Se tivermos que cair, caímos com orgulho e com a certeza de batalha encarada! E que a vida se torne vencedora! Votos de esperança e melhoras para todos os que fazem esta caminhada, doentes, amigos, família. Obrigada pela partilha.
Voltar

Outros Testemunhos

  • E um dia tudo muda... Estudava para um teste de psicologia quando a minha mãe entrou em casa de olhos baixos, era qualquer coisa, não sabia bem, vieram as...Sandra Jorge, 34 anos, Mama, 1995Ler mais
  • Bom dia. Venho dar coragem a todos os doentes que estão a passar por esta doença sem aviso porque, felizmente, tenho uma tia que teve cancro da mama em...Anonimo, 42 anos, Mama, 2007Ler mais
  • Em agosto de 2015 recebi a noticia mais amarga da minha vida: cancro de mama. E depois de fazer biópsia descobri que era um pouco mais complicado....Maria Martins, 51 anos, Mama, 2015Ler mais
  • A vida parecia correr às mil maravilhas: pessoa saudável, realizada profissionalmente e com vontade de viver. Até que em agosto de 2009 detetei algo...Maria, 49 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Em dezembro de 2015, uma semana depois do meu filho completar 2 anos, estava longe de imaginar que a minha vida iria dar uma volta de 180°.Andava eu...Manuela Pina, 43 anos, Mama, 2015Ler mais
  • Fui mãe recentemente, um bebé muito desejado por mim e pelo meu marido. Eu tinha uma má formação nos órgãos femininos que me colocava alguns entraves...Isabel Patricia, 29 anos, Mama, 2010Ler mais
Apoios & Parcerias