Voltar

Beatiz carriço xavier

50 anos Mama, 2007, Doente
Foi graças a esta Instituição que hoje estou viva. Em 2006 fui chamada para o rastreio e foi-me detetado um nódulo, mas esse foi só tirar e felizmente não era maligno. Mas em 2007 é que veio a má notícia depois de fazer uma mamografia, quando a minha médica me disse que tinha que fazer mastectomia radical, com esvaziamento da axila. Foi como se o mundo me tivesse caído em cima. Também passei por momentos muito dolorosos, que esta doença nos traz, como a quimioterapia, radioterapia, ficar sem o meu cabelo... Mas graças à sua atuação ainda fui a tempo de me salvar. A cura varia muito, o estado de espírito da pessoa ajuda a superar todo o sofrimento, assim como o grande apoio do marido, filhos ou familiares mais próximos. Nós precisamos muito de carinho, amor e muita compreensão. Eu posso dizer com toda a certeza que foi tudo isso que me ajudou a superar todo o meu sofrimento. Hoje já a fazer a reconstrução mamária, sinto-me a mulher mais feliz do mundo porque finalmente já gosto do que vejo ao espelho. Por tudo isto, força! Não desistam de lutar com todas as forças, vale a pena a nossa luta, porque a vida é o bem mais precioso. Obrigado a todos os profissionais de saúde que me acompanharam.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Antes de mais, olá a todas(os)! Quero deixar o meu testemunho para que saibam que pensamento positivo e atitude positiva podem e fazem a diferença! Nunca...Verónica Domingos, 25 anos, Mama, 2013Ler mais
  • Sorrir para a vida! A minha história resume-se às seguintes palavras: força, fé, coragem, determinação, amor, amizade, esperança, sorriso e vida. Sou...Ana Morais, 45 anos, Mama, 2007Ler mais
  • Poupo-vos os detalhes, o susto, o sofrimento, enfim tudo aquilo por que passam todos os que são confrontados com um qualquer tipo de cancro. A minha...anónimo, 55 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Nunca escrevi sobre este assunto em lado nenhum, mas parece-me que o meu testemunho pode dar esperança a outros. No ano 2000, o meu filho, na altura com 2...Maria Ferreira, 50 anos, Mama, 2004Ler mais
  • Aprendi, durante o tempo em que estive doente, que cancro não é sinónimo de morte, mas sim sinónimo de luta!Apesar de ficarmos curadas, nunca mais...Custódia Esturra, 43 anos, Mama, 1995Ler mais
  • Faz esta semana um ano que recebi uma das piores notícias da vida: tinha cancro de mama. Foi um turbilhão de emoções, de perguntas, enfim, muita coisa....Teresa Porto, 29 anos, Mama, 2011Ler mais
Apoios & Parcerias