Voltar

Carla Silva

38 anos Mama, 2011, Doente
Foi no dia 23 de fevereiro que, após uma mamografia e ecografia mamária, fui confrontada com esta doença. No início fiquei sem reação. Depois veio o sentimento de revolta, de impotência. Porquê eu? Como contar ao meu filho de 10 anos? Como contar à minha mãe, que em 2006 já tinha perdido um filho com cancro no pâncreas (o meu irmão mais velho)? O meu marido foi e tem sido o meu maior suporte e se para mim foi um choque, para ele não foi menos, pois quando tinha 7 anos perdeu a mãe com esta doença que também atingiu e matou mais duas tias. Fiz a cirurgia e retirei uma parte do peito, fiz seis sessões de quimioterapia e trinta de radioterapia. Esperam-me 5 longos anos pela frente. Custou muito, passei muito mal com a quimioterapia, chorei desconsoladamente quando perdi o cabelo, as sobrancelhas e as pestanas. Mas estou cá! Sobrevivi! Se tive medo? Sim, muito! Ódio? Claro! Mas eu não o pedi, não o quis e expulsei-o da minha vida! É o que devemos fazer. Nunca desanimar!
Voltar

Outros Testemunhos

  • A vida parecia correr às mil maravilhas: pessoa saudável, realizada profissionalmente e com vontade de viver. Até que em agosto de 2009 detetei algo...Maria, 49 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Em novembro de 2009 foi-me diagnosticado cancro da mama. O meu primeiro pensamento? Pensei que ia morrer... O mundo desabou a meus pés, depois a esperança...Vera Vilar, 30 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Em junho de 1991, depois de uma mamografia, por causa de um pequeno “altinho” na parte inferior da mama esquerda, que teimava em não desaparecer, li no...Gabriela, 57 anos, Mama, 1991Ler mais
  • Nunca escrevi sobre este assunto em lado nenhum, mas parece-me que o meu testemunho pode dar esperança a outros. No ano 2000, o meu filho, na altura com 2...Maria Ferreira, 50 anos, Mama, 2004Ler mais
  • Aprendi, durante o tempo em que estive doente, que cancro não é sinónimo de morte, mas sim sinónimo de luta!Apesar de ficarmos curadas, nunca mais...Custódia Esturra, 43 anos, Mama, 1995Ler mais
  • Tinha 30 anos, uma vida inteira pela frente e a certeza de que iria ver a minha filha, que na altura tinha 2 anos, a crescer. Um dia, no duche, senti um...Ana Marques, 32 anos, Mama, 2011Ler mais
Apoios & Parcerias