Voltar

Cláudia

46 anos Mama, 2004, Doente
Ao fim da tarde de 24 de dezembro de 2004, fiquei a saber que tinha cancro da mama. Um “belíssimo” presente de Natal! Fiz mastectomia, quimioterapia (horrível, com imensos vómitos, desidratação e perda de peso) e radioterapia. Tudo isto sem deixar de trabalhar, exceto quando não o conseguia. Continuei a minha vida de uma forma diferente, como se me fosse dada uma segunda oportunidade. Passei a aproveitar muito melhor a vida, a passear, a visitar museus, galerias de arte, exposições, parques, cidades, vilas, com os filhotes pequeninos. Muito bom. Confesso que me sentia uma privilegiada por este alerta. Em março de 2010 fiz a reconstrução mamária, pensando que já estava livre do problema, mas começam as dores nas costas. O cancro estava metastizado nos ossos. Fui operada à coluna, fiquei de baixa médica e a minha “coleção” de metástases ósseas foi aumentando gradualmente. Agora já tenho também uma pequena coleção no fígado. (…) A vida é boa e vale a pena aproveitar. Sinto que me são concedidas diversas segundas vidas e tento aproveitá-las ao máximo. (…) Aqui fica o meu muito obrigada a todos os que tornam esta nova vida tão agradável. (…)
Voltar

Outros Testemunhos

  • Olá! Venho deixar o meu testemunho. Tudo começou a 5 de junho 2015. Estava deitada a brincar com o meu filho de 4 anos e senti dores na mama e...Susana Coelho, 39 anos, Mama, 2015Ler mais
  • Chamo-me Rosa, tenho 49 anos. Em agosto de 2010 foi-me diagnosticado um carcinoma invasivo da mama de grau III. Passei por 6 sessões de quimioterapia com...Rosa pereira, 49 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Embora seja uma jovem, talvez um pouco inconsciente, vivi uma situação muito perturbadora e desgastante emocionalmente com a minha tia, portadora do...Maria Ferreira, 19 anos, Mama, 2005Ler mais
  • Corria o mês de Julho, quando a minha mãe foi solicitada para realizar o rastreio do cancro da mama. Ao princípio recusou, na verdade, nunca gostou de...Joana Rocha, 18 anos, Mama, 2012Ler mais
  • Em Novembro 2016 e sem sequer imaginar o que estaria por vir deparei-me com um diagnóstico devastador... Estava sozinha só eu e a...Elisabete Duarte, 41 anos, Mama, 2016Ler mais
  • Em julho de 2011, com 50 anos, apalpei um “caroço” na mama esquerda. Imediatamente, fui fazer ecografia e mamografia e o médico foi direto: tinha...Maria João, 52 anos, Mama, 2011Ler mais
Apoios & Parcerias