Voltar

Diogo Ribeiro de Campos

18 anos Mama, 1992, Familiar
Conheço de perto a realidade do cancro, concretamente do cancro da mama, uma vez em que em casa tenho uma pessoa muito próxima, a minha avó paterna, que encarou e superou com muita confiança esta doença. Muita dessa confiança deve-se, sobretudo, ao apoio e carinho dos voluntários e das voluntárias da Liga Portuguesa Contra o Cancro.Esse exemplo levou-me este ano a colaborar em três dias no Peditório Nacional da Liga Portuguesa Contra o Cancro e a inscrever-me como voluntário na Liga Portuguesa Contra o Cancro com o objetivo de dar um pouco de mim e do meu tempo.Força e coragem. Obrigado!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Em abril de 2010 começou a jornada de exames que culminou em dezembro desse ano com o diagnóstico de cancro da mama. Quando a médica me disse que tinha...Paula Guerra, 39 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Eu descobri que tinha um nódulo com características suspeitas na mama em novembro de 2006, tinha 25 anos. Na altura guardei segredo, porque...Mara Borges, 38 anos, Mama, 2007Ler mais
  • Em 2005 foi-me diagnosticado um cancro de mama, o que mais me custou foi o fato de ter duas filhas: uma de seis e a mais nova ainda não tinha dois anos....Sandra Santos, 42 anos, Mama, 2005Ler mais
  • Foi há 2 anos que o diagnóstico chegou. Estávamos em outubro de 2009. A minha vida tentava encontrar o equilíbrio perdido devido a um divórcio no ano...Filomena Crespo, 46 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Em julho de 2007 foi-me diagnosticado um cancro de mama. No dia do meu aniversário, 11-08-2007, o meu marido pediu-me em casamento à minha filha....Helena Pereira, 48 anos, Mama, 2007Ler mais
  • Em Novembro 2016 e sem sequer imaginar o que estaria por vir deparei-me com um diagnóstico devastador... Estava sozinha só eu e a...Elisabete Duarte, 41 anos, Mama, 2016Ler mais
Apoios & Parcerias