Voltar

Diogo Ribeiro de Campos

18 anos Mama, 1992, Familiar
Conheço de perto a realidade do cancro, concretamente do cancro da mama, uma vez em que em casa tenho uma pessoa muito próxima, a minha avó paterna, que encarou e superou com muita confiança esta doença. Muita dessa confiança deve-se, sobretudo, ao apoio e carinho dos voluntários e das voluntárias da Liga Portuguesa Contra o Cancro.Esse exemplo levou-me este ano a colaborar em três dias no Peditório Nacional da Liga Portuguesa Contra o Cancro e a inscrever-me como voluntário na Liga Portuguesa Contra o Cancro com o objetivo de dar um pouco de mim e do meu tempo.Força e coragem. Obrigado!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Em maio deste ano foi-me diagnosticado cancro da mama. Sem qualquer antecedente familiar e sem outros fatores de risco (sou mãe de 3 rapazes, amamentei,...Ana Ferreira, 43 anos, Mama, 2014Ler mais
  • Pois é minhas amigas. Não desanimar é a principal terapia. Depois de um dia complicado de trabalhos em casa, enquanto tomava um banhinho, reparei que na...ana barroco, 49 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Com apenas 28 anos de idade, em agosto de 2005, num autoexame descobri um pequeno caroço que se veio a confirmar ser um carcinoma. Como podem calcular foi...Gisela Marmelo, 34 anos, Mama, 2005Ler mais
  • Em outubro de 2011, o meu mundo foi abalado com a palavra que mais temia desde criança: cancro na mama. A minha madrinha e a minha mãe faleceram há mais...Sónia Pereira, 35 anos, Mama, 2011Ler mais
  • Aos 32 anos, a vida sorri-nos todos os dias, principalmente quando temos um bebé a crescer dentro de nós, de repente perdemos esse bebé, por fatores...Marlene Duarte, 32 anos, Mama, 2010Ler mais
  • No dia 9 de março de 2012 foi-me diagnosticado um cancro da mama. Nesse dia parecia que tinha chegado o fim de tudo, que tinha chegado a minha hora mas tal...Vera Pedro, 34 anos, Mama, 2012Ler mais
Apoios & Parcerias