Voltar

Eliana Barreto

27 anos Tiróide, 2010, Doente
Olá a todos!Em julho de 2010 foi-me diagnosticado um carcinoma papilar da tiroide. Nunca pensei que este fosse o tipo de coisas que acontecesse só aos outros, até porque a minha história familiar já havia sido pontuada por vários casos de cancro. No entanto o diagnóstico é sempre um choque. Pensa-se em tudo: que somos muito novas, que vamos morrer, como vamos contar isto aos nossos pais e amigos... Felizmente existem profissionais de saúde excecionais neste país. A minha operação correu bem, assim como a minha recuperação física. Fiz o tratamento em janeiro deste ano, um tratamento facílimo, já que o meu tipo de cancro não é tratável com quimioterapia, mas sim com um tratamento de medicina nuclear com iodo radioactivo. Estou atualmente curada e aguardo a minha consulta dos três meses. Ainda é tudo muito recente mas se há coisas que posso dizer sobre o cancro e que aprendi com ele é: primeiro - estejam atentos à vossa saúde, ao vosso corpo. No meu caso, passei anos com um sintoma de que algo estava errado (um caroço no pescoço) e não fui prontamente ao médico. Por medo, por ignorância, por pensar que estava a ser paranóica, ou seja, sem querer saber o que se passava comigo, atrasei a minha recuperação durante anos e dei espaço e tempo para o tumor crescer. Segundo - falem dos vossos sentimentos com a família, os amigos, um psicólogo, quem vos ajudar melhor a compreender tudo isto. Ser forte significa saber lidar com as coisas, chorar, ter dúvidas, sentir medo, ter dias menos bons não é sinónimo de fraqueza, é sinónimo de humanidade. Revejo-me muito nos testemunhos que já li e penso que todos os que passámos pelo mesmo sabemos que a partir de agora a nossa vida vai ser diferente. E talvez, atrevo-me a dizer, melhor, mais feliz, porque descobrimos em nós forças que não pensávamos ter e tivemos certezas do que realmente importa para sermos felizes. Espero sinceramente que estes testemunhos sirvam de amparo aos que estão doentes e ajudem pessoas a lidar com esta doença que ainda acarreta um estigma na sociedade portuguesa (na minha opinião). Para finalizar queria apenas reforçar a confiança que todos devemos ter nos nossos profissionais de saúde - é o trabalho deles ajudar-nos e eles fazem-no dedicada e maravilhosamente. Aos médicos e enfermeiros do IPO o meu sincero obrigado e a minha devoção. Há vida antes e, certamente, há vida depois do cancro.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Olá, Sou a Marlene e tenho 24 anos. Em Outubro de 2014 foi me diagnosticado um nódulo na tiróide. Em Fevereiro, no dia do meu...Marlene Patrícia, 24 anos, Tiróide, 2015Ler mais
  • Era saudável. Praticava exercício físico, fazia uma excelente alimentação, e tinha deixado de fumar há 3...Catarina, 34 anos, Tiróide, 2015Ler mais
  • Em 1999 tive uma dor no pescoço, recorri à minha médica de clínica geral que ao apalpar o pescoço mandou-me fazer uma ecografia e umas análises....Inês, 34 anos, Tiróide, 2002Ler mais
  • Em 2007, apareceu-me um pequeno papo no pescoço. Recorrendo a alguns médicos experientes que conheço foi rápido o diagnóstico: Tumor medular da tiroide...Miguel Silva, 56 anos, Tiróide, 2007Ler mais
  • Final de 2008 - Nos meus treinos de BTT e corrida, começo a sentir dificuldade em respirar, aí reparo que tenho uma bola tipo ovo de galinha a apertar-me...Jorge, 35 anos, Tiróide, 2010Ler mais
  • Nunca perder a esperança colaborar com os médicos. Não ter medo de falar sobre a doença porque ao falar ajuda-nos a nós e a outros doentes a terem mais...Anónimo, 53 anos, Tiróide, 2010Ler mais
Apoios & Parcerias