Voltar

Filomena Crespo

46 anos Mama, 2009, Doente
Foi há 2 anos que o diagnóstico chegou. Estávamos em outubro de 2009. A minha vida tentava encontrar o equilíbrio perdido devido a um divórcio no ano anterior e, sem pré-aviso, numa consulta de rotina, fui confrontada com a dura realidade. Depois de muitos exames e uma angústia sem fim, veio finalmente o diagnóstico: «carcinoma intraductal in situ». Ninguém está preparado para uma notícia destas mas se estou aqui, hoje, a deixar o meu testemunho, é para sublinhar a importância de partilhar, lutar e acreditar. Foi o que fiz. Contei à família e aos amigos mais chegados, confiei nos médicos e segui em frente. Foram 2 anos complicados, de esperas, cirurgias, reconstruções, internamentos, dores, mas tudo está ultrapassado. Hoje sinto-me ainda mais forte, com capacidade de continuar a minha luta e de ajudar quem precisar da minha ajuda. É com uma esperança renovada que encaro o novo ano e com a certeza de que a minha vida ficou mais rica depois desta experiência. Não desistir é a palavra de ordem. Felizmente há cada vez mais vencedoras que, como eu, acreditam que é possível vencer o cancro e ter uma vida normal. Força e coragem para todos!
Voltar

Outros Testemunhos

  • E um dia tudo muda... Estudava para um teste de psicologia quando a minha mãe entrou em casa de olhos baixos, era qualquer coisa, não sabia bem, vieram as...Sandra Jorge, 34 anos, Mama, 1995Ler mais
  • Sorrir para a vida! A minha história resume-se às seguintes palavras: força, fé, coragem, determinação, amor, amizade, esperança, sorriso e vida. Sou...Ana Morais, 45 anos, Mama, 2007Ler mais
  • Em julho de 2006, tinha eu 20 anos, o meu mundo tremeu. No dia em que a minha mãe fez uma mamografia, soube-se que tinha cancro da mama. Entretanto, em...Diana Damião, 27 anos, Mama, 2006Ler mais
  • Fui mãe recentemente, um bebé muito desejado por mim e pelo meu marido. Eu tinha uma má formação nos órgãos femininos que me colocava alguns entraves...Isabel Patricia, 29 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Eu tive cancro de mama. Quando soube, foi como se se abrisse um poço sem fundo, mas consegui com a força de amigos e família. Por isso, digo a quem tem...Graciete Santos, 38 anos, Mama, 2011Ler mais
  • Quero falar de vida!Em 2004 foi-me diagnosticado cancro da mama. E pensei - e agora? Depois de algumas lágrimas argumentei comigo: tens um problema- ...madalena Santos, 56 anos, Mama, 2004Ler mais
Apoios & Parcerias