Voltar

Gabriela

57 anos Mama, 1991, Doente
Em junho de 1991, depois de uma mamografia, por causa de um pequeno “altinho” na parte inferior da mama esquerda, que teimava em não desaparecer, li no relatório carcinoma maligno com 2,5 cm! O meu mundo caiu! Divorciada, com uma filha de 14 anos e eu tão nova… 37 anos! Como enfrentar? Como sobreviver ao que li? Numa época em que se desconhecia tudo, em que se tinha até medo de contar à família... Acho que foi nessa altura que percebi o quanto queria viver e o quanto queria lutar! Quanto queria ainda ser feliz! Seguiu-se a operação, a 1ª sessão de quimioterapia, a radioterapia e depois… (eu não tinha percebido que teria mais quimioterapia) de volta para mais 5 sessões... Acho que tudo se transformou numa luta de viver dia a dia e, sobretudo, aproveitar o que de bom ainda existia! Hoje, passados 21 anos, e depois de um percurso de alguns sustos (as consultas de revisão trazem-me sempre um medo terrível, afinal viver é muito bom!) estou novamente na corda bamba por causa de uma dor nas costas! E, novamente penso... Será? Não será? Mas vou enfrentar e não me deixar abater, a coragem para viver está tão forte como sempre! Afinal, 21 anos é muito tempo de felicidade e amor! E um bom médico, coragem e sorte podem fazer muita diferença para o futuro! E eu quero!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Venho por este meio deixar o meu testemunho e pedir a quem sofre deste tipo de doença, que vem sem avisar e se instala sem nós estarmos preparados, que...Manuela Miller, 47 anos, Mama, 1998Ler mais
  • Todas as noites visito esta página para, de alguma forma, não me sentir só neste sofrimento que é perder a mãe (a melhor do mundo) com esta doença...Sara, 43 anos, Mama, 2014Ler mais
  • A primeira vez que ouvi a palavra cancro tinha onze anos e foi quando perdi o meu pai. Estávamos em 1975 e na época o cancro era chamado de "doença...margarida ferreira, 51 anos, Mama, 2004Ler mais
  • Conheço de perto a realidade do cancro, concretamente do cancro da mama, uma vez em que em casa tenho uma pessoa muito próxima, a minha avó paterna, que...Diogo Campos, 18 anos, Mama, 1992Ler mais
  • Tinha 30 anos, uma vida inteira pela frente e a certeza de que iria ver a minha filha, que na altura tinha 2 anos, a crescer. Um dia, no duche, senti um...Ana Marques, 32 anos, Mama, 2011Ler mais
  • Foi em 2006 que foi diagnosticado à minha mãe um cancro maligno da mama. O choque da notícia foi enorme mas com muito apoio da minha parte, ela superou...Vera Pereira, 29 anos, Mama, 2006Ler mais
Apoios & Parcerias