Voltar

Gabriela Fonseca

26 anos Linfoma Não Hodgkin, 2016, Doente
Antes de mais, deixem-me apresentar-me.
Chamo-me Gabriela, tenho 26 anos e há mais de um ano a vida desafiou-me: mudei a fisionomia, mudei o cabelo, mudei a atitude, mudei tudo, de verdade!
Em maio de 2016 descubro que tenho um Linfoma de Burkitt no estadio IV A. Com 25 anos tenho uma doença considerada mortal, e agora?!
Fere. Fere muito. Fere a assimilação da notícia. Fere a hipótese do desfecho. Fere a bravura exigida quando só pressentes choros e motins. Fere porque pode matar-te…
Até que, interpretas as palavras e admites que continuará a ferir. Porém, não te é consentido manifestar esse sofrimento, uma vez que, o período temporal; o "bicho" e a quimioterapia solicitam uma disponibilidade imediata e total.
É hora de combater. É hora de superar. É hora de aceitar. É hora de reconhecer a Cura: pois ela existe, sim!
Quando há um ano atrás o resultado da biópsia foi revelado desabei. Nunca conjeturei ser uma doente oncológica; nunca ponderei sobre o autoconhecimento ou a aptidão que usufruímos para resistir ao contratempo e, também nunca julguei que aos 26 anos viveria uma segunda oportunidade.
Prometi que não desistiria, que me manteria psicologicamente equilibrada e que construiria os meus 50%. E o médicos garantiram que se responsabilizariam pela eficácia da outra metade.
E, assim foi.
A fórmula resultou e ainda que, a recordação fira. Creio que a História encarregar-se-á de conceber ao dia 6 de maio, o meu Dia de Mudança.
 
Voltar

Outros Testemunhos

  • Sou a Dina, tenho 42 anos. Aos 22 anos tive o maior pesadelo da minha vida, sem saber o que me esperava um emagrecimento repentino, um cansaço...Dina Pascoal, 42 anos, Linfoma Não Hodgkin, 1996Ler mais
  • Sou a Ana Margarida Dinis, tenho 37 anos, 2 filhos e uma família fantástica... No meu caso, saber o que era “aquilo que eu tinha” foi um alívio......Ana Dinis, 36 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2012Ler mais
  • Em novembro de 2006, após sentir há vários dias um enorme cansaço, realizei várias exames e foi-me diagnosticado um linfoma esplénico (não-Hodgkin)....Isabel, 47 anos, Linfoma Não HodgkinLer mais
  • Há 30 anos venci um cancro que estava alojado na nasofaringe. (…)Consegui vencer o cancro e vou gerindo os efeitos colaterais da...Eugenia Lopes, 49 anos, Linfoma Não Hodgkin, 1989Ler mais
  • Hoje vivo uma vida normal: tenho 33 anos, estou na faculdade, trabalho e tenho três maravilhosos filhos. Mas, em 2008 (na época tinha 24...Ediléia Marcão, 33 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2008Ler mais
  • Olá a todos! Soube mais ou menos há cerca de um mês que o meu avô tem cancro. Desde o início desta luta que estou ao lado dele, todos os dias. O meu...Margarida Mendes, 17 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2015Ler mais
Apoios & Parcerias