Voltar

Helena Carreiro

52 anos Mama, 2016, Familiar
Convivo com esta doença já há muito. Primeiro uma tia mas não tive muito contacto, depois uns anos mais tarde o meu pai eu desconfiava ele dizia que não até que chegou o ultimo internamento e aí meu marido foi falar com o medico que confirmou não um mas já dois cancros nada havia já a fazer apenas atenuar seu sofrimento faz 10 anos que partiu dia 27/1 depois foi minha mae primeiro utero depois mama e por fim intestinos venceu todos graças aos medicos excelentes equipas morre não pelo cancro mas por falta de assistencia após a ultima operação, é isso que me revolta é isso que me doi fez no dia 16/1 um ano fui eu a uma distancia de 250km a visar que a minha estava a passar mal. no dia 7 deste m~es fui fazer o rastreio de cancro de mama esta terça feira recebo um telefonema coimbra nem me lembrei perguntei a mim mesmo quem me esta a ligar de coimbra? ligo para saber quando oiço o atendedor cai-me tudo ok algo esta mal não a tecnica aqui teve dificuldar em posicionar a mama até tive que repetir não é nada depois vem a outra fase não algo está mal seja o que for tenho que esperar ate dia 27 e confiar nas equipas obrigado por existirem
Voltar

Outros Testemunhos

  • Após uma Mamografia de Rastreio do Cancro da Mama, a minha mãe recebeu uma carta para se apresentar lá novamente porque haviam algumas...Alexandra Costa, 25 anos, Mama, 2017Ler mais
  • Faz precisamente três anos que o mundo desabava em cima de mim: "A D Silvia tem cancro da mama....". Não! Era engano! Tinha que...Silvia Miranda, 46 anos, Mama, 2015Ler mais
  • Conheço de perto a realidade do cancro, concretamente do cancro da mama, uma vez em que em casa tenho uma pessoa muito próxima, a minha avó paterna, que...Diogo Campos, 18 anos, Mama, 1992Ler mais
  • Embora seja uma jovem, talvez um pouco inconsciente, vivi uma situação muito perturbadora e desgastante emocionalmente com a minha tia, portadora do...Maria Ferreira, 19 anos, Mama, 2005Ler mais
  • 1 de junho de 1999, dia da criança. Foi na brincadeira com as minhas filhas que uma delas me tocou no peito e me doeu. Apalpei de imediato o local e...Isabel, 56 anos, Mama, 2001Ler mais
  • Em outubro de 2011, o meu mundo foi abalado com a palavra que mais temia desde criança: cancro na mama. A minha madrinha e a minha mãe faleceram há mais...Sónia Pereira, 35 anos, Mama, 2011Ler mais
Apoios & Parcerias