Voltar

ILIDIARIBEIRO

50 anos Mama, 2004, Doente
Cancro - medo, morte, desespero, dor, solidão... Para mim, que me vi confrontada com um cancro de mama, sem qualquer tipo de sintomas numa rotina de exames, pela insistência do radiologista no exame, pelo diálogo saí com a certeza de diagnóstico. Biópsia - cancro maligno invasivo. Escuridão profunda, vazio, um embaralhar de sentimentos, mas lá no alto palavras sobressaiam: “vida”, “luta”, “dor”. Sofri, sofri, sem forças para arrastar o meu corpo, vómitos, perda de cabelo, veneno introduzido no meu corpo, que eu tanto cuidava e que aos poucos eu via transformado, mas sempre com uma certeza. Faz parte da cura, vou viver, sou uma lutadora sem nunca me questionar: não tenho mama, o que vai ser? Sou mulher, não me faz falta, não me sinto inferior, pelo contrário sou superior, luto por manter a minha feminidade e enquanto os outros reparam num espaço vazio, eu vejo um espaço cheio de amor por mim mesmo, alegria e orgulho por sempre acreditar que vou sair vencedora. Hoje, mais calma, verifico que sou outro ser, mais humano e com uma paz interior que jamais pensei encontrar. A luta continua, sempre com sobressaltos mas com força para enfrentar o cancro. Obrigado a todos que me acompanharam num momento menos feliz.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Desde que me conheço como mulher que tenho nódulos/quistos nos peitos. Daí fazer todos os anos, desde há muito tempo atrás, os respetivos exames de...Maria, 48 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Corria o ano de 2010. Era um ano de novas esperanças, com o nascimento de uma nova neta. As forças já tinham sido retemperadas com o usufruto de...Marco Santos, 59 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Olá! Venho contar a história da minha mãe, que é a pessoa mais corajosa que eu conheço. Eu tinha 15 anos e a minha irmã 10 ou 11 anos, quando a minha...simone nunes, 27 anos, Mama, 1999Ler mais
  • Em abril de 2010 começou a jornada de exames que culminou em dezembro desse ano com o diagnóstico de cancro da mama. Quando a médica me disse que tinha...Paula Guerra, 39 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Pediram-me para dar testemunho da minha caminhada, eu diria da travessia do deserto. Ao longo deste percurso experimentamos todas as transformações, quer...António Tinoco, 56 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Decorridos oito anos, ainda consigo trazer para o papel um percurso duro na sua essência mas repleto de força, a força que nos chega das gargalhadas que...Fátima Bernardo, 47 anos, Mama, 2007Ler mais
Apoios & Parcerias