Porque quem precisa, precisa de nós!

Contribua com o seu donativo
Voltar

ISABEL CARDINAL

38 anos Mama, 2009, Doente
Sete de janeiro de 2010, dez horas e trinta e nove, faz exatamente um ano hoje, em que eu estava numa sala (batizei a minha sala de spa) a fazer a minha primeira sessão de quimioterapia!... Nossa, como o tempo passa e, olhando pra trás, ouvindo as palavras do meu médico “a tua única safa vai ser a tua posição perante tudo pelo que vais passar, pois não tenho medicamentos para todos os efeitos secundários que vais ter, mas tenho um que te posso receitar - tem ânimo! Que nós fazemos o resto!” Ouvi aquilo e pensei nos meus filhos, na minha mãe, nas minhas manas e no imenso amor que eu sentia por todos eles e que igualmente eu sabia que eles sentiam por mim e animei-me: forças, ânimo, alegria, paciência no meio de tanta tristeza, dor e revolta. Foi uma mistura de sentimentos muito fortes, mas que me deram muita força ao mesmo tempo para superar tudo. Hoje posso confessar: a revolta pelo meu cabelo comprido lindo ter caído, o meu peito, as unhas ficaram negras e doridas, a boca queimada que me impossibilitava de me alimentar, as dores de cabeça, os vómitos, o cansaço, as dores no corpo todo, as queimaduras da pele, as dores no braço, no meio disto tudo eu ria-me e sorria e ainda fazia rir, mas por dentro a minha alma estava tão triste, mas depressa ficava melhor ao ver o maravilhoso apoio de todos os meus amigos e família. As lutas que tive que travar com o Estado português em relação aos meus direitos e dos meus filhos. Enquanto fazia um tratamento de quimioterapia, houve momentos em que eu pensei que não chegaria aqui, mas com a ajuda de Deus e de todos os que colaboraram para que eu comemorasse mais um ano aqui fica o meu mais profundo obrigado por tudo! Amo-vos muito! Amanhã o aniversário será de todos nós e não somente meu. Beijos e um grande abraço. E a todos os que de alguma maneira estiverem a passar pelo mesmo ou por um familiar lembrem-se de apoiar e amar. O que não nos mata fortalece-nos!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Em agosto de 2015 recebi a noticia mais amarga da minha vida: cancro de mama. E depois de fazer biópsia descobri que era um pouco mais complicado....Maria Martins, 51 anos, Mama, 2015Ler mais
  • Como tenho antecedentes familiares com cancro da mama, comecei a fazer exames de rotina aos 35 anos.E foi aos 40 anos, após um desses exames de rotina,...Felícia Ferreira, 55 anos, Mama, 1998Ler mais
  • Mal eu sabia o que me ia acontecer faz hoje um ano. Tudo começou no início de fevereiro de 2012, primeiro a descoberta do nódulo, o que me deixou logo...Vera Pedro, 34 anos, Mama, 2012Ler mais
  • Chamo-me Dulce Helena, tenho 58 anos e foi-me diagnosticado um carcinoma muito avançado na mama esquerda em Junho de 2014. Fiz Quimioterapia (...) de...Dulce Silva, 58 anos, Mama, 2014Ler mais
  • Perdi a minha irmã em outubro de 2010, com 37 anos. Certamente não é um caso de sucesso como gostaria de partilhar mas a vida, infelizmente, não é só...Irene Silva, 47 anos, Mama, 2008Ler mais
  • Sou uma mulher de entre tantas que, de um momento para o outro, sentiram a sua vida virada do avesso ao ser-me diagnosticado um cancro na mama. Tinha 39...Ana Costa, 45 anos, Mama, 2005Ler mais
Apoios & Parcerias