Voltar

Isabel Coelho

56 anos Mama, 2005, Doente
Há 7 anos, ao fazer a depilação nas axilas, detetei que algo não estava bem, embora não conseguisse fazer a palpação do nódulo. Fui no mesmo dia ao médico, fiz mamografia e foi diagnosticado um tumor, sem saber a localização do primário. Depois do esvaziamento da axila descobriram que o tumor era na mama e fui "forçada" a fazer mastectomia completa. Foi uma fase muito difícil, impossível de descrever, mas eu sou uma mulher de muita fé, nunca desisti e felizmente depois de quimioterapia e radioterapia, comecei a trabalhar imediatamente. O meu marido também adoeceu gravemente e eu era o sustento da casa. Apesar das minhas limitações e avisada pelo médico para não fazer esforços, tratei sempre dele e só tive ajuda um mês quando esteve sempre acamado. Faleceu há 3 anos, vivo sozinha, e tenho muitas saudades do meu marido e de partilhar as alegrias e tristezas de que é composta a nossa vida. Continuo a trabalhar cada vez mais e tenho muito tempo para dedicar ao meu próximo, que por vezes precisa imenso da minha visita. A minha fé em Deus continua viva cada dia maior e é assim que eu, por norma, sou uma mulher alegre e sorridente, que tem o coração com muito amor para distribuir com os colegas de trabalho e com os que me rodeiam. Foi-me detetado o mês passado um pólipo no útero e vai ser extraído em fevereiro, se Deus quiser vai correr tudo bem. Aproveito para pedir a todas as pessoas que leem estes testemunhos que façam exames regularmente, não deixem arrastar as situações quando por vezes já é tarde de mais. Também quero deixar um bem haja a todos quantos trabalham no IPO, pela dedicação e forma carinhosa como somos tratados. Um bom ano de 2012 para todos com muitas melhoras e muita fé.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Conheci o cancro na primeira pessoa há um ano atrás. Há um ano e um mês que convivo diariamente com ele, trato-o por tu, mas recuso-me a deixar que ele...Anita Chouriço, 39 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Foi precisamente há 4 anos que foi diagnosticado cancro da mama na minha mãe. Quando soube nem queria acreditar, o meu coração caiu, senti um enorme...Carmen Iglesias, 22 anos, MamaLer mais
  • A primeira vez que ouvi a palavra cancro tinha onze anos e foi quando perdi o meu pai. Estávamos em 1975 e na época o cancro era chamado de "doença...margarida ferreira, 51 anos, Mama, 2004Ler mais
  • Só no ano de 2013, com a ajuda da minha psicóloga, consegui dizer “tive cancro”.Só hoje consigo escrever sobre o assunto, esperando que o meu...Maria DIAS, 55 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Embora seja uma jovem, talvez um pouco inconsciente, vivi uma situação muito perturbadora e desgastante emocionalmente com a minha tia, portadora do...Maria Ferreira, 19 anos, Mama, 2005Ler mais
  • Perdi a minha irmã em outubro de 2010, com 37 anos. Certamente não é um caso de sucesso como gostaria de partilhar mas a vida, infelizmente, não é só...Irene Silva, 47 anos, Mama, 2008Ler mais
Apoios & Parcerias