Voltar

Joana

38 anos Mama, 2015, Doente
Caiu uma bomba! Não sei exatamente o dia, sei que era um sábado antes do dia do Pai! Primeiro neguei até conseguir uma confirmação do que vinha no relatório. Depois chorei, chorei e chorei! Não queria esta luta. Não queria deixar de cuidar da minha filha. Não queria deixá-la sem mãe. Não queria abalar a vida do meu marido. Não queria deixar o meu desporto que tanto gosto e tanta falta me faz. Não queria nada disto mas não há quereres. Ninguém quer mas tal como na lotaria, às vezes somos premiados. Resta-nos lutar com dias de muito otimismo. É uma luta que para mim ainda agora começou. Só fiz a cirurgia! Deixei o meu desporto há 2 meses. Deixei metade de cada mama. Deixei a minha filha por uns dias. Deixei o meu marido preocupado. Abalei a família que não o demonstra. Eu não o demonstro. Mas tenho um nó na garganta e muitas vezes só me apetece chorar e berrar: “Porquê a mim?!”, “Porquê agora?!”. Outros dias, sorrio e penso: “Vai correr tudo bem. Já o tirei de dentro de mim, vou fazer os tratamentos e, em breve, terei toda a minha vida de volta!”.
Voltar

Outros Testemunhos

  • No dia 27 agosto de 2010 cheguei a casa do trabalho e verifiquei que tinha líquido no meu mamilo direito. Fui fazer os exames e no dia 30 setembro foi-me...Fernanda Ferreira, 39 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Olá. Eu também já lutei contra o cancro da mama, hoje sou uma vencedora pois já passaram 5 anos e dia 23 soube da grande notícia: já fazia parte do...Anónimo, 47 anos, Mama, 2007Ler mais
  • Lido com o cancro desde a minha adolescência. Nunca tive cancro, mas tive dois familiares próximos que infelizmente morreram com cancro de pulmão, no...Ana, 28 anos, Mama, 2012Ler mais
  • Eu descobri há pouco tempo que tinha cancro da mama. Estou a fazer tratamentos de quimioterapia antes da operação. (...) O meu encarar da doença é bom...sofia fernandes, 28 anos, MamaLer mais
  • A minha história será mais uma aqui apresentada. Mas tenho fé e quero acreditar que tudo vai correr bem comigo e com o meu bebé. Estou grávida de 13...Maria Enes, 29 anos, Mama, 2014Ler mais
  • Aprendi, durante o tempo em que estive doente, que cancro não é sinónimo de morte, mas sim sinónimo de luta!Apesar de ficarmos curadas, nunca mais...Custódia Esturra, 43 anos, Mama, 1995Ler mais
Apoios & Parcerias