Voltar

Joana Matias

31 anos Mama, 2018, Doente
Foi em Outubro de 2018, quando numa ecografia de rotina, me foi diagnosticado o carcinoma mamário!
Tinha 30 anos e não queria acreditar que esta doença também tinha encontrado lugar no meu corpo. Neste momento ainda continuo em luta, mas desde o primeiro dia que me mentalizei que o importante era o caminho que tinha pela frente, o tratar da doença e resolver ficar bem, sem lamentações (porque ninguém escolhe ficar doente e muito menos uma doença oncológica). Não podia pensar no que devia ter feito ou no que me provocou isto. Era o agora que importava, era e é o amor de todos que me rodeiam que me dão as forças necessárias, coragem e esperança para lutar dia a dia.
É sorrir todos os dias perante esta realidade e confiar que somos mais fortes que este “menino”!
Claro que há dias e dias, os efeitos dos tratamentos nem sempre são fáceis, mas nunca perder a esperança (por mais que às vezes nos soltem umas lágrimas de desânimo).
Muita força e coragem a todos os que estão nesta luta, familiares e amigos.
SORRIR É SEMPRE O MELHOR REMÉDIO!
#hope&faith&love
Voltar

Outros Testemunhos

  • Eu tive cancro de mama. Quando soube, foi como se se abrisse um poço sem fundo, mas consegui com a força de amigos e família. Por isso, digo a quem tem...Graciete Santos, 38 anos, Mama, 2011Ler mais
  • Embora seja uma jovem, talvez um pouco inconsciente, vivi uma situação muito perturbadora e desgastante emocionalmente com a minha tia, portadora do...Maria Ferreira, 19 anos, Mama, 2005Ler mais
  • Em dezembro de 2015, uma semana depois do meu filho completar 2 anos, estava longe de imaginar que a minha vida iria dar uma volta de 180°.Andava eu...Manuela Pina, 43 anos, Mama, 2015Ler mais
  • Em outubro de 2010 deixei de tomar a pílula para ter outro filhote. Passados alguns dias, no meu trabalho, que era ser operadora de ordenha, senti uma dor...SOFIA FERNANDES, 30 anos, Mama, 2011Ler mais
  • Foi-me diagnosticado cancro em setembro de 2012. Os meus filhos tinham 1 e 2 anos. Tinha acabado de amamentar o meu filho mais novo. Sentia que tinha algo...Paula, 38 anos, Mama, 2012Ler mais
  • Em outubro de 2011, o meu mundo foi abalado com a palavra que mais temia desde criança: cancro na mama. A minha madrinha e a minha mãe faleceram há mais...Sónia Pereira, 35 anos, Mama, 2011Ler mais
Apoios & Parcerias