Voltar

Joana Rocha

18 anos Mama, 2012, Familiar
Corria o mês de Julho, quando a minha mãe foi solicitada para realizar o rastreio do cancro da mama. Ao princípio recusou, na verdade, nunca gostou de médicos e achava que seria uma perda de tempo. Felizmente, as colegas de trabalho convenceram-na e ela lá foi. Passado uns dias ligaram-lhe, teria de ir realizar mais exames pois teria sido descoberto um nódulo suspeito no peito. Realizou-se os exames e infelizmente o diagnóstico foi aquele para o qual nunca estamos preparados: cancro da mama. Em Outubro de 2012, iniciou os tratamentos de quimioterapia, falta apenas um e depois será operada. Seguido da operação ainda não se sabe, mas provavelmente irá fazer mais tratamentos. Foi e tem sido muito difícil, temos passado momentos complicados mas eu acredito que Deus nos vais ajudar nesta fase. Ela é uma mulher forte e tem pessoas que a amam e que nunca a vão desamparar. É o meu orgulho. A todos os que passam por esta doença, fica aqui os votos de força e coragem. Vençam a doença, antes que ela vos vença a vocês. À Liga Portuguesa Contra o Cancro, muito obrigada.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Faz precisamente três anos que o mundo desabava em cima de mim: "A D Silvia tem cancro da mama....". Não! Era engano! Tinha que...Silvia Miranda, 46 anos, Mama, 2015Ler mais
  • Em julho de 2011, com 50 anos, apalpei um “caroço” na mama esquerda. Imediatamente, fui fazer ecografia e mamografia e o médico foi direto: tinha...Maria João, 52 anos, Mama, 2011Ler mais
  • Pois é minhas amigas. Não desanimar é a principal terapia. Depois de um dia complicado de trabalhos em casa, enquanto tomava um banhinho, reparei que na...ana barroco, 49 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Aos 58 anos, numa mamografia de rotina, foi-me diagnosticado cancro de mama. Fui operada no dia em que fiz 59 anos. Fui muito acarinhada por todo o pessoal...maria, 61 anos, Mama, 2008Ler mais
  • Aprendi, durante o tempo em que estive doente, que cancro não é sinónimo de morte, mas sim sinónimo de luta!Apesar de ficarmos curadas, nunca mais...Custódia Esturra, 43 anos, Mama, 1995Ler mais
  • Só no ano de 2013, com a ajuda da minha psicóloga, consegui dizer “tive cancro”.Só hoje consigo escrever sobre o assunto, esperando que o meu...Maria DIAS, 55 anos, Mama, 2010Ler mais
Apoios & Parcerias