Voltar

Laura Castanheira

38 anos Colo-Rectal (Intestino), 2006, Familiar
Sou testemunha não só de cancro colorretal como de cancro no cérebro. O meu pai teve a sorte de morrer com qualidade no IPO (tumor cerebral), mas até esse período, que foi de 1 ano (2007/8), vivi com ele o diagnóstico, operação, a sua "melhora", o coma, o seu despertar, o esquecer, o presente, o passado, as sua dores, vi-o "morrer" diariamente. Minha mãe, cancro colorretal. Vi a sua luta por não aceitar a doença, a sua luta por se achar menos bela, por ter vergonha de sair à rua, foi uma luta de 5 anos, mas que no fim nos deixou com muita saudade (...). Tenho várias experiências das quais tirei "proveito" durante estes anos com os meus pais, mas a mais importante foi aprender dizer bem alto "cancro", pois só assim foi possível, eu e os restantes filhos entenderem, e até explicarmos aos nossos filhos que também viveram os últimos momentos de "lazer" e "prazer" que estes tiveram. Novamente, a equipa do IPO superou no caso do meu pai tudo o que eu previa. Da minha mãe, agradeço ao médico que a acompanhou nos últimos dias, sempre sensível com ela e com a nossa situação. Sim, porque a situação tambem é nossa.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Em 18 de janeiro de 2008, depois da ida ao WC, vi a sanita com muito sangue. Nesse dia, fui ao médico. Uma semana depois fiz uma colonoscopia. Foi-me...António Ferraz, 58 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2008Ler mais
  • A minha situação, até me ser diagnosticado o cancro, era igual a muitos outros: não me vai acontecer ou não tenho sintomas que me levem a julgar que o...Romão Capinha, 63 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2008Ler mais
  • Fui ao médico por causa de uma constipação no dia 27 de Outubro de 2008 e duas horas depois foi-me confirmado cancro colorretal. Não tinha sintomas e...Anónimo, 55 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2008Ler mais
  • Corria o ano de 2005 e tinha ultrapassado as seis décadas de existência de uma vida com altos e baixos, mas globalmente positiva. Estava reformado, após...José Neves, 65 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2005Ler mais
  • Em outubro de 2002, tinha 40 anos e comecei a ter fortes dores abdominais. Fui vista por médicos que suspeitaram de gastrite. Fiz uma ecografia que nada...Teresa André, 50 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2002Ler mais
  • A 3 de janeiro de 2006, depois de ter acordado de uma endoscopia alta e toque rectal, a que fui submetida, na sequência de várias dores e comportamentos...Manuela Amaral, 58 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2006Ler mais
Apoios & Parcerias