Voltar

luis manuel carvalho frazao

45 anos Linfoma Não Hodgkin, 2007, Doente
Olá, eu tive um linfoma-marginal no pescoço. No início, foi difícil aceitar o diagnóstico, mas por incrível que possa parecer, as primeiras palavras da minha médica foram a melhor coisa que eu poderia ouvir para me animar: “Tens de fazer o que mais gostas e te dá mais prazer”. Estas palavras foram mágicas e com alguma coragem e uma revolta muito grande dentro de mim, fui correr a mini maratona na ponte 25 de Abril, pela primeira vez. Olhava em meu redor e vi milhares de pessoas e eu sozinho com o meu linfoma. Só estávamos nós. Pois tinha perdido a minha filha há um ano atrás, e agora estava ali meio perdido. Chorei muito durante a corrida, mas estava com muito prazer a correr. Então compreendi que ainda estava nas minhas mãos fazer alguma coisa por mim. E continuei a fazê-lo até hoje. Isto tudo para dizer a todos os que têm cancro que é a altura certa para olharmos para dentro de nós e descobrirmos o que nos dá mais prazer e nos faz felizes. As melhoras a todos. E as palavras-chave são aceitar para depois poder lutar. Coragem!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Sou a Dina, tenho 42 anos. Aos 22 anos tive o maior pesadelo da minha vida, sem saber o que me esperava um emagrecimento repentino, um cansaço...Dina Pascoal, 42 anos, Linfoma Não Hodgkin, 1996Ler mais
  • Partilho este capítulo da minha vida com todos aqueles, que no desfolhar do livro das suas vidas, lhes foi diagnosticado um cancro. Palavra que nos abala e...Barbara Machado, 25 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2010Ler mais
  • Só quem vive na pele sabe o sofrimento, a dor, o crescimento e a transformação.Ter o diagnostico de um linfoma este ano fez-me...Claudia Matos, 44 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2019Ler mais
  • Hoje vivo uma vida normal: tenho 33 anos, estou na faculdade, trabalho e tenho três maravilhosos filhos. Mas, em 2008 (na época tinha 24...Ediléia Marcão, 33 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2008Ler mais
  • Há 30 anos venci um cancro que estava alojado na nasofaringe. (…)Consegui vencer o cancro e vou gerindo os efeitos colaterais da...Eugenia Lopes, 49 anos, Linfoma Não Hodgkin, 1989Ler mais
  • Olá a todos! Soube mais ou menos há cerca de um mês que o meu avô tem cancro. Desde o início desta luta que estou ao lado dele, todos os dias. O meu...Margarida Mendes, 17 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2015Ler mais
Apoios & Parcerias