Voltar

Madalena Hipólito

62 anos Pulmão, 1998, Doente
Quero apenas deixar o meu testemunho para dar esperança e força a quem está a passar pelo mesmo. Tinha na altura 48 anos, andava com uma constipação daquelas chatas que não passam. Fui ao médico, que me mandou fazer um RX, onde foram logo visíveis manchas no pulmão direito. Depois de vários exames foi-me diagnosticado cancro no pulmão. São momentos em que temos a sensação que o chão se abre e o teto nos cai em cima. Fui imediatamente a uma consulta de cirurgia, mais exames, mais consultas, até que me disseram que tinha de ser operada. Confesso que fui para o hospital para a cirurgia sem qualquer ideia, se iria correr tudo bem ou não. O meu médico, que é uma pessoa muito otimista, dizia-me que iria correr tudo bem… Quando estava completamente desanimada pensava nos meus filhos e no meu marido, que foram o meu grande suporte, aliás, como toda a família que sempre me deu muito apoio. Tudo isto aconteceu já lá vão 14 anos. Fiquei completamente curada. Nunca devemos perder a esperança.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Olá, há 3 anos foi detetado a um cunhado meu leucemia. Foram momentos de muita angústia, mas graças a Deus hoje está curado. Foi preciso muita fé,...Maria lopes, 39 anos, Pulmão, 2010Ler mais
  • Em 2000 foi diagnosticado ao meu pai cancro colo-rectal já em fase avançada mas, apesar da pouca esperança, ele venceu de uma forma surpreendente. Com...Ana Carvalho, 36 anos, Pulmão, 2004Ler mais
  • A 5 de setembro fui diagnosticada com um adenocarcinoma pulmonar. Poucos dias depois, no IPO, informaram-me que era já numa fase avançada e inoperável....Cristina Alves, 48 anos, Pulmão, 2012Ler mais
  • Vivi intensamente esta doença através do meu pai a quem foi diagnosticado um cancro pulmonar em 2005. Venceu algumas batalhas mas a sua luz apagou-se em...Joaquim Moreira, 36 anos, Pulmão, 2005Ler mais
  • Esta é a batalha que nunca nos imaginamos a passar. São coisas que vemos acontecerem a outros, temos pena, mas não imaginamos o...Ana Oliveira, 18 anos, Pulmão, 2015Ler mais
  • Passaram três anos desde que o meu marido partiu. Já vivi 1114 dias sem a sua presença física. Foram dias muito duros. Foram dias em que mostrei uma...Ana Antunes, 47 anos, Pulmão, 2006Ler mais
Apoios & Parcerias