Voltar

Manuela Miller

47 anos Mama, 1998, Doente
Venho por este meio deixar o meu testemunho e pedir a quem sofre deste tipo de doença, que vem sem avisar e se instala sem nós estarmos preparados, que não desistam. Em 1998, depois de ter verificado que tinha um caroço muito pequeno junto a minha axila do lado esquerdo, fui ao médico que me disse que em princípio não era nada de especial e que me retirava sem qualquer tipo de problema, salvaguardo aqui que o médico que me fez tal operação foi a minha salvação porque ao contrário do que ele previa o nódulo foi para ser diagnosticado e quando veio o resultado era maligno. Tudo ficou negro à minha volta. Tinha 33 anos, um filho com 6 anos e ainda tinha tanto para fazer que não queria que a minha vida acabasse ali naquele momento. Foi-me alertado da pior forma o que me podia acontecer com o pior cenário. Custou-me muito porque além de ter de me submeter a uma cirurgia para limparem a axila com a possibilidade de retirar o peito, ainda ia fazer quimioterapia onde iria ficar completamente careca. Depois de todos os conselhos médicos resolvi fazer tudo direitinho: operação, quimioterapia, radioterapia e ainda injeções nos ovários durante 3 anos. Por fim era a tomada do tamoxifen. Foi uma fase difícil mas afinal o cenário até foi menos doloroso. Fiz tudo direitinho e correu tudo bem. Não consigo explicar o que sentimos mas depois disto nada fica igual. Agora, há 3 anos suspeitaram de algo nos ovários e por isso tive que fazer uma conização. O resultado foi negativo mas tenho que vigiar. Mas tudo isto traz muito medo. Uma simples ecografia assusta, não posso mentir e dizer que não tenho medo de um simples exame médico, uma simples análise. Porque trata-se e cuida-se quando é detetado a tempo mas é doloroso psicologicamente o entretanto. Passado isto, a vida continua e com outra visão.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Conheci o cancro na primeira pessoa há um ano atrás. Há um ano e um mês que convivo diariamente com ele, trato-o por tu, mas recuso-me a deixar que ele...Anita Chouriço, 39 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Como tenho antecedentes familiares com cancro da mama, comecei a fazer exames de rotina aos 35 anos.E foi aos 40 anos, após um desses exames de rotina,...Felícia Ferreira, 55 anos, Mama, 1998Ler mais
  • Chamo-me Eduardo Marques. 38 anos. Vendedor. Um homem, como outro qualquer. Com uma diferença para muitos outros, que o torna menos igual entre iguais -...Eduardo Marques, 38 anos, Mama, 2013Ler mais
  • O dia da execução do "bicho": 5 de julho de 2006. Meio-dia, marcava o relógio na parede do bloco operatório. Sentia-me muito bem-disposta, mesmo depois...lucinda almeida, 50 anos, Mama, 2006Ler mais
  • Olá, o meu nome é Eduarda. No passado dia 9 de março 2012, foi-me diagnosticado cancro de mama. Após um “longo” tratamento de quimioterapia, longo...Maria Cunha, 37 anos, Mama, 2012Ler mais
  • (...) Estava envolvida num projecto profissional intenso em Lisboa, faltava-me tempo para parar e pensar... Mas estava muito assustada com o nódulo no...Fernanda Simões, 46 anos, Mama, 2005Ler mais
Apoios & Parcerias