Porque quem precisa, precisa de nós!

Contribua com o seu donativo
Voltar

margarida manuela alves ferreira

51 anos Mama, 2004, Doente
A primeira vez que ouvi a palavra cancro tinha onze anos e foi quando perdi o meu pai. Estávamos em 1975 e na época o cancro era chamado de "doença má".Em 200, também tive uma doença má, um cancro da mama. Fui mastectomizada à mama direita e retirei o quadrante superior da mama esquerda mas, desde o primeiro dia, tratei o cancro pelo seu nome próprio e foi uma luta de igual para igual.Foi uma luta dura, mas eu fui vencedora porque é assim que devemos encarar esta doença.Força, determinação, esperança e sobretudo a certeza que vai vencer o mais forte. E o mais forte fui eu!É preciso acreditar, mas acreditar sempre!Nunca me senti discriminada, nunca. E é com muito orgulho que passados 11 anos assisto diariamente a cada vez mais casos de sucesso.Um muito obrigado aos investigadores, aos médicos, aos enfermeiros, aos auxiliares, aos voluntários que todos os dias dão o seu melhor para nos ajudar a vencer estas batalhas.Mudei muito como pessoa. Hoje relativizo muito mais os problemas. Nada é mais importante que a nossa saúde e "se Deus me poupou, alguma causa ele encontrou!".Um Bem Hajam!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Tenho cancro da mama, diagnosticado há cerca de um ano. Acho muito importante a partilha de experiências, pois muitas das vezes aqueles que nunca viveram...Isa, 46 anos, Mama, 2011Ler mais
  • Lido com o cancro desde a minha adolescência. Nunca tive cancro, mas tive dois familiares próximos que infelizmente morreram com cancro de pulmão, no...Ana, 28 anos, Mama, 2012Ler mais
  • Conheci o cancro na primeira pessoa há um ano atrás. Há um ano e um mês que convivo diariamente com ele, trato-o por tu, mas recuso-me a deixar que ele...Anita Chouriço, 39 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Após uma Mamografia de Rastreio do Cancro da Mama, a minha mãe recebeu uma carta para se apresentar lá novamente porque haviam algumas...Alexandra Costa, 25 anos, Mama, 2017Ler mais
  • O dia da execução do "bicho": 5 de julho de 2006. Meio-dia, marcava o relógio na parede do bloco operatório. Sentia-me muito bem-disposta, mesmo depois...lucinda almeida, 50 anos, Mama, 2006Ler mais
  • Olá! Venho contar a história da minha mãe, que é a pessoa mais corajosa que eu conheço. Eu tinha 15 anos e a minha irmã 10 ou 11 anos, quando a minha...simone nunes, 27 anos, Mama, 1999Ler mais
Apoios & Parcerias