Voltar

Margarida Mendes

17 anos Linfoma Não Hodgkin, 2015, Familiar
Olá a todos! Soube mais ou menos há cerca de um mês que o meu avô tem cancro. Desde o início desta luta que estou ao lado dele, todos os dias. O meu avô, sentindo um nódulo no pescoço, deslocou-se logo ao centro de saúde. O médico mandou logo fazer análises e exames a tudo, dos pés à cabeça. Como homem inteligente que é, embora não sabendo uma única letra, soube logo o que o destino tinha guardado para ele. Imediatamente nos disse e todos nós, cá em casa, ficámos devastados; mas os dias seguiram-se e foi encaminhado para o IPO, onde o tratam impecavelmente. O diagnóstico chegou e é um Linfoma não-hodgkin. Começou os ciclos de quimioterapia, hoje foi o primeiro tratamento. Muitos se seguirão mas juntos estaremos cá para tudo. Todos os dias falo com ele, estou com ele, rio-me com ele. O meu avô é uma pessoa linda por dentro e por fora, merece que estejamos ao lado dele. Estamos no princípio, ainda falta muita batalha pela frente, mas venceremos. Não há coisa que eu deseje mais no mundo que do essa vitória!Por isso, muita força, coragem, acreditem que é possível. Força a todos! Acreditem!
Voltar

Outros Testemunhos

  • O cancro pode derrubar sonhos e impossibilitar projetos. Mas também pode ajudar a crescer e a ver a vida de uma perspectiva totalmente diferente.Tudo...Susana Lino, 42 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2004Ler mais
  • Sou filha de uma doente oncológica, desde 1984, tinha eu 9 anos e a minha irmã 6, quando vimos a nossa mãe doente e ser encaminhada...Manuela Martins, 45 anos, Linfoma Não Hodgkin, 1984Ler mais
  • Quando me foi diagnosticada a doença, a questão que coloquei imediatamente ao médico foi a de saber o que é que se tinha de fazer para atacar...Carlos Pereira, 49 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2000Ler mais
  • Em novembro de 2006, após sentir há vários dias um enorme cansaço, realizei várias exames e foi-me diagnosticado um linfoma esplénico (não-Hodgkin)....Isabel, 47 anos, Linfoma Não HodgkinLer mais
  • Só quem vive na pele sabe o sofrimento, a dor, o crescimento e a transformação.Ter o diagnostico de um linfoma este ano fez-me...Claudia Matos, 44 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2019Ler mais
  • A 11 de setembro de 1999, após uma entrada no Hospital com uma dor torácica, foi-me diagnosticado, após algumas horas de exames, linfoma não Hodgkin,...Fernanda Malanho, 39 anos, Linfoma Não Hodgkin, 1999Ler mais
Apoios & Parcerias