Voltar

Maria

54 anos Mama, 2006, Doente
Foi-me diagnosticado um cancro de mama há 5 anos num exame de rotina - mamografia e ecografia - que faço regularmente desde os 39 anos. Parecia bizarro, tinha estado há 4 meses no ginecologista e tudo estava aparentemente bem... A nadar na piscina, apercebi-me que a mama estava ligeiramente mais dura e fui de imediato fazer o exame, mesmo em data anterior ao pedido. A médica informou-me que havia ali alguma anomalia que seria necessário confirmar com realização de biópsia e com o maior profissionalismo e empenho entregou-me de imediato o relatório e marcou-me a biópsia. Confirmou-se a existência de Carcinoma. Rapidamente recolhi opiniões, escolhi o cirurgião, fui operada dali a uma semana - foi feita uma tumorectomia, com esvaziamento axial, conservando a mama, portanto, e por questões de prudência, fiz radioterapia, que correu lindamente. Neste momento ainda estou a fazer hormonoterapia e estou ótima, com tudo controlado e sem edema no braço, porque obedeço fielmente ao meu médico. Devo confessar que acreditei sempre que tudo iria correr bem porque merecia e isso foi uma ajuda excelente, para além de alguma força superior, da família e amigos, como é óbvio. Cada caso é um caso, mas aconselho basicamente o seguinte: “agir o mais rapidamente possível e de uma forma racional, não ficar assustada com a palavra cancro, é uma doença tratável; acreditar no médico ou equipa escolhida sem se dispersar e, por último, resistir sempre e nunca desistir. Em suma, tratar-se e manter-se vigilante - porque o cancro vai provavelmente visitar-nos um dia a todos, só não sabemos quando as células deixam de ir à escola...
Voltar

Outros Testemunhos

  • Em janeiro de 2005 apercebi-me de um inchaço na mama esquerda, consultei o médico (…). Fiz anti-inflamatórios, antibióticos, mas nada, até que...Sandra Santos, 43 anos, Mama, 2005Ler mais
  • Nunca escrevi sobre este assunto em lado nenhum, mas parece-me que o meu testemunho pode dar esperança a outros. No ano 2000, o meu filho, na altura com 2...Maria Ferreira, 50 anos, Mama, 2004Ler mais
  • Aprendi, durante o tempo em que estive doente, que cancro não é sinónimo de morte, mas sim sinónimo de luta!Apesar de ficarmos curadas, nunca mais...Custódia Esturra, 43 anos, Mama, 1995Ler mais
  • Embora seja uma jovem, talvez um pouco inconsciente, vivi uma situação muito perturbadora e desgastante emocionalmente com a minha tia, portadora do...Maria Ferreira, 19 anos, Mama, 2005Ler mais
  • Mal eu sabia o que me ia acontecer faz hoje um ano. Tudo começou no início de fevereiro de 2012, primeiro a descoberta do nódulo, o que me deixou logo...Vera Pedro, 34 anos, Mama, 2012Ler mais
  • Em junho de 1991, depois de uma mamografia, por causa de um pequeno “altinho” na parte inferior da mama esquerda, que teimava em não desaparecer, li no...Gabriela, 57 anos, Mama, 1991Ler mais
Apoios & Parcerias