Voltar

Maria

55 anos Mama, 2010, Familiar
Quando estamos perante o diagnóstico de cancro, em nós ou nos nossos entes queridos, tudo à nossa volta parece desmoronar-se e subitamente sentimo-nos perdidos no meio da tempestade, algures no deserto. O grande milagre é acreditar que vamos conseguir ter força para sair dali. Temos emergência em encontrar alguém (talvez um anjo) que nos resgate, que nos tire da tempestade e nos leve para um clima de tranquilidade, confiança e esperança. Foi isto que senti em 2010 quando soube do diagnóstico de cancro da mama na minha mãe e a equipe de anjos (de saúde) que nos socorreu foi fantástica. A todos os profissionais de saúde que nos ajudaram ficarei eternamente grata e agradeço a Deus (ao meu) pelo dom que lhes dá por tão bem saberem ajudar os outros em situações de catástrofe física e emocional. A minha mensagem é de esperança e acreditem em algo (Deus, Vida ou outra coisa) porque isso dá força para continuar no nosso caminho.
Voltar

Outros Testemunhos

  • O meu avô paterno, meu pai, minha irmã, minha mãe e meu primo, todos faleceram de cancro de vários tipos. Este ano ao fim de...Rita Xavier, 40 anos, Mama, 2019Ler mais
  • “Há coisas que se podem escrever quando já não dói ...”Não há datas mágicas, mas já lá vão cinco anos.No dia 18 de janeiro de 2006, ouvi a...Graça Luzia, 49 anos, Mama, 2005Ler mais
  • A minha irmã (…) foi diagnosticada com cancro. Foi um choque para toda a família... Chorei muitas noites mas nunca à frente dela...Marina, 43 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Faz precisamente três anos que o mundo desabava em cima de mim: "A D Silvia tem cancro da mama....". Não! Era engano! Tinha que...Silvia Miranda, 46 anos, Mama, 2015Ler mais
  • Foi no dia 23 de fevereiro que, após uma mamografia e ecografia mamária, fui confrontada com esta doença. No início fiquei sem reação. Depois veio o...Carla Silva, 38 anos, Mama, 2011Ler mais
  • Tenho cancro da mama, diagnosticado há cerca de um ano. Acho muito importante a partilha de experiências, pois muitas das vezes aqueles que nunca viveram...Isa, 46 anos, Mama, 2011Ler mais
Apoios & Parcerias