Voltar

Maria Eduarda Marinho da Cunha

37 anos Mama, 2012, Doente
Olá, o meu nome é Eduarda. No passado dia 9 de março 2012, foi-me diagnosticado cancro de mama. Após um “longo” tratamento de quimioterapia, longo porque foi bastante doloroso (fiz 8 sessões de quimioterapia), no passado dia 25 de setembro foi-me extraída a mama e os canais linfáticos do lado esquerdo. Apesar de não ter parado de trabalhar, fiquei em casa apenas nos dias que se emseguiram à cirurgia. Tenho tido períodos bastante complicados. Vivemos sozinhos (eu e o meu namorado) na Dinamarca, desde abril de 2008. É extremamente difícil, não só para mim mas também para a minha família, devido à distância. Não sei ainda o que vai acontecer, pois ainda estou longe do fim desta prova de vida, mas com isto quero deixar o meu testemunho que possa ajudar alguém que duvide de que, quando queremos e temos fé, tudo é possível ultrapassar. Força e que a saúde esteja de volta com todos vocês o mais rápido possível. Um beijo enorme e bem haja a todos aqueles que voluntariamente ajudam o próximo.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Fui diagnosticada com cancro inflamatório da mama, em dezembro de 2013. Com uma filha de 3 anos e meio, não me restou senão...Vera Fernandes, 34 anos, Mama, 2013Ler mais
  • Chamo-me Dulce Helena, tenho 58 anos e foi-me diagnosticado um carcinoma muito avançado na mama esquerda em Junho de 2014. Fiz Quimioterapia (...) de...Dulce Silva, 58 anos, Mama, 2014Ler mais
  • Olá amigos! Vou começar por dar o meu testemunho, que no fundo terá algo em comum com várias pessoas que, tal como eu, estão a passar ou passaram por...Ana Mateus, 52 anos, Mama, 2011Ler mais
  • Todas as noites visito esta página para, de alguma forma, não me sentir só neste sofrimento que é perder a mãe (a melhor do mundo) com esta doença...Sara, 43 anos, Mama, 2014Ler mais
  • Olá!Nos últimos seis anos tive a experiência mais marcante e devastadora da minha vida, mas também o renascer da esperança a cada tratamento e a cada...Ana Cristina, 47 anos, Mama, 2007Ler mais
  • Convivo com esta doença já há muito. Primeiro uma tia mas não tive muito contacto, depois uns anos mais tarde o meu pai eu...Helena Carreiro, 52 anos, Mama, 2016Ler mais
Apoios & Parcerias