Voltar

Maria Martins

51 anos Mama, 2015, Doente
Em agosto de 2015 recebi a noticia mais amarga da minha vida: cancro de mama. E depois de fazer biópsia descobri que era um pouco mais complicado. Nesse momento tudo fica escuro, mas a luta começa. Primeiro fiquei muito triste, mas não havia tempo para lamentar, todos os minutos eram precisos para começar a grande batalha. Comecei por ter que fazer mastectomia parcial e teria que fazer radiotrapia. Estava muito confiante. Dias depois recebi a noticia que afinal tinha que fazer mastectomia total e mais quimooterapia. O mundo caiu a meus pés. Sou uma mulher de fé e pensei "o meu desespero vai ser o desespero do meu marido e das minhas filhas", e então unimos as nossas forças e começamos a luta. Foi operada e passado mês e meio estava a fazer quimioterapia. Fiz oito ciclos, tudo correu bem. Passados 21 dias estava a fazer radio e comecei a hormonaterapia. Foi uma fase menos boa da minha vida. Já lá vão 21 meses e com algumas dificuldades mas com muita vontade de viver e vencer todas tempestades da vida. Tive muito apoio das minhas filhas e marido e isso foi muito importante. Como costumo dizer "fiquei sem uma mama mas fiquei com a vida". Tive um médico fantástico que foi sempre muito humano. A mensagem que quero deixar é que vale apena lutar e principalmente ACREDITAR, com força e determinação o caminho será a vitória. São as dificuldades que fazem de nós pessoas muito melhores. Quando um dia está de chuva, no outro estará sol . Eu sou uma mulher de sorte e feliz, estou viva e isso é fundamental .
 
Voltar

Outros Testemunhos

  • Olá a todos! Não é fácil para mim ainda hoje falar nesta maldita doença. Mas tenho a dizer que a medicina e os Hospitais...Anónimo, 46 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Conheci o cancro na primeira pessoa há um ano atrás. Há um ano e um mês que convivo diariamente com ele, trato-o por tu, mas recuso-me a deixar que ele...Anita Chouriço, 39 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Como tenho antecedentes familiares com cancro da mama, comecei a fazer exames de rotina aos 35 anos.E foi aos 40 anos, após um desses exames de rotina,...Felícia Ferreira, 55 anos, Mama, 1998Ler mais
  • Corria o mês de Julho, quando a minha mãe foi solicitada para realizar o rastreio do cancro da mama. Ao princípio recusou, na verdade, nunca gostou de...Joana Rocha, 18 anos, Mama, 2012Ler mais
  • Em dezembro de 2015, uma semana depois do meu filho completar 2 anos, estava longe de imaginar que a minha vida iria dar uma volta de 180°.Andava eu...Manuela Pina, 43 anos, Mama, 2015Ler mais
  • Foi graças a esta Instituição que hoje estou viva. Em 2006 fui chamada para o rastreio e foi-me detetado um nódulo, mas esse foi só tirar e felizmente...Beatiz xavier, 50 anos, Mama, 2007Ler mais
Apoios & Parcerias