Voltar

Nuno Paisana

38 anos Linfoma Não Hodgkin, 2003, Doente
Venho aqui deixar o meu testemunho enquanto doente: a nossa primeira reação quando recebemos a notícia é de incredulidade. Só pensamos que não nos pode estar a acontecer, que isto é daquelas coisas que só acontece aos outros (isto é o nosso lado egoísta a pensar). Mas depois de cair na realidade, só pensei que tinha de vencer esta batalha e entreguei-me de corpo e alma aos cuidados da fabulosa equipa do IPO - a quem quero mais uma vez agradecer todos os cuidados que me prestaram e continuam a prestar, desde a equipa médica, ao corpo de enfermagem, à parte administrativa, aos auxiliares e deixar também um grande bem-haja aos voluntários. Comecei a minha luta em 2003 com sessões de quimioterapia, passando pela radioterapia e acabando com um auto transplante. Hoje, passados 7 anos do transplante, encontro-me muito bem, tendo como passatempo a participação em provas de atletismo, estando inscrito na meia maratona de Lisboa. Quero dizer a todos, doentes e familiares que é possível vencer esta doença, não é fácil mas é possível.
Voltar

Outros Testemunhos

  • A minha relação com o cancro remonta a outubro de 2002, tinha na altura 15 anos feitos há pouco tempo e enfrentava um novo mundo com a passagem do ensino...Bruno Ramalho, 25 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2002Ler mais
  • Boa tarde! Sou a filha de uma mulher ribatejana, de 55 anos, a quem foi diagnosticado, no passado agosto, um Linfoma Não Hodgkin de grandes células (na...Ana Oliveira, 30 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2012Ler mais
  • Tinha 14 anos quando me foi diagnosticado o cancro. Fui sempre feliz durante esse tempo. Cortei o cabelo e arranjei imediatamente uma alcunha a mim mesma -...Marine Antunes, 22 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2004Ler mais
  • Olá a todos! Soube mais ou menos há cerca de um mês que o meu avô tem cancro. Desde o início desta luta que estou ao lado dele, todos os dias. O meu...Margarida Mendes, 17 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2015Ler mais
  • Lembro-me perfeitamente... Memórias não me faltam... Mas, atualmente, raramente penso nelas... Não sinto necessidade! O meu único objetivo aqui e agora...Susana, 41 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2004Ler mais
  • Olá, eu tive um linfoma-marginal no pescoço. No início, foi difícil aceitar o diagnóstico, mas por incrível que possa parecer, as primeiras palavras...luis frazao, 45 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2007Ler mais
Apoios & Parcerias