Voltar

Paula Alexandra Simões Guerra

39 anos Mama, 2010, Doente
Em abril de 2010 começou a jornada de exames que culminou em dezembro desse ano com o diagnóstico de cancro da mama. Quando a médica me disse que tinha de me retirar a mama toda fiquei como que adormecida e sem reação. Simplesmente disse “se tem que ser só me resta aceitar e seguir em frente”. E assim fiz. Em janeiro deste ano fui operada e fizeram-me logo nessa altura a reconstrução mamária. Depois foi um mês de recuperação e em março comecei a quimioterapia. Cair-me o cabelo foi o que me custou menos porque até fico gira sem cabelo. Apesar da quimioterapia não ser “pêra doce” sempre tentei ver o outro lado da medalha e até hoje não fui “abaixo” e até gozo comigo mesma porque sem cabelo e sem sobrancelhas mais parecia um extraterrestre. Os seis meses que durou a quimioterapia foram uma mistura de dor e de esperança porque cada tratamento que conseguia fazer era doloroso, mas era também mais uma vitória para o vencer. Acabei a quimioterapia em agosto e comecei a tomar o “Tamoxifeno” e cada dia que passa sinto-me cada vez melhor. Já tenho cabelo e sobrancelhas e o pior acho que já passou. Às vezes ainda me sinto um pouco insegura em relação ao futuro porque o cancro destruiu os meus sonhos e agora tenho que construir outros sonhos. Mas são os sonhos que nos fazem viver e agora vivo um dia de cada vez e dou valor às coisas que realmente têm valor porque a vida é demasiado curta para darmos importância a coisas sem importância. A todos os que lerem este meu testemunho quero dizer que mesmo quando tudo parece perdido há uma luz ao fundo do túnel e que não podemos perder a esperança. Aceitar que tinha cancro foi o primeiro passo para me curar. E hoje em dia costumo dizer que na guerra contra o cancro eu venci esta batalha, porque a guerra só o futuro sabe quem vai vencer. A todos os que lerem isto muita coragem.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Eu descobri há pouco tempo que tinha cancro da mama. Estou a fazer tratamentos de quimioterapia antes da operação. (...) O meu encarar da doença é bom...sofia fernandes, 28 anos, MamaLer mais
  • Bom dia. Venho dar coragem a todos os doentes que estão a passar por esta doença sem aviso porque, felizmente, tenho uma tia que teve cancro da mama em...Anonimo, 42 anos, Mama, 2007Ler mais
  • Sorrir para a vida! A minha história resume-se às seguintes palavras: força, fé, coragem, determinação, amor, amizade, esperança, sorriso e vida. Sou...Ana Morais, 45 anos, Mama, 2007Ler mais
  • 1 de junho de 1999, dia da criança. Foi na brincadeira com as minhas filhas que uma delas me tocou no peito e me doeu. Apalpei de imediato o local e...Isabel, 56 anos, Mama, 2001Ler mais
  • Olá! Sei que não estou só, sou uma de muitas... é espantosa a solidariedade entre as mulheres com cancro de mama! Quero aqui dizer que enfrentei o meu...Maria, 45 anos, Mama, 2010Ler mais
  • (...) Estava envolvida num projecto profissional intenso em Lisboa, faltava-me tempo para parar e pensar... Mas estava muito assustada com o nódulo no...Fernanda Simões, 46 anos, Mama, 2005Ler mais
Apoios & Parcerias