Voltar

Susana

41 anos Linfoma Não Hodgkin, 2004, Doente
Lembro-me perfeitamente... Memórias não me faltam... Mas, atualmente, raramente penso nelas... Não sinto necessidade! O meu único objetivo aqui e agora é passar o meu testemunho a tantas pessoas que de perto acompanham situações idênticas... Sim, idênticas, porque não existem duas situações iguais! Estava eu a passar o período mais feliz da minha vida, quando tive a notícia de que tinha um “simpático” LHN. Tinha sido mãe há um ano, de um lindo menino! Estava na fase de transformações físicas pós-parto e nunca me passou pela mente que poderia padecer de cancro. Tinha emagrecido, sentia-me cansada... Normal! Era mãe há tão pouco tempo! Mãe sozinha! Os meus primeiros pensamentos foram para o meu pequenino filho que só me tinha a mim! Que vou eu fazer? Não foi nada fácil... O meu filho foi e é sempre a minha maior fonte de preocupação, mas é sobretudo a minha força de viver! Enfrentei o problema de frente... Fiz quimioterapia, radioterapia, recaí passados poucos meses do final dos tratamentos. Voltei a fazer quimioterapia e desta segunda vez fiz auto-transplante. Tem sido uma guerra difícil com muitas batalhas perdidas a favor do cancro, mas tem valido a pena! Estou a ver o meu filho a crescer! Neste momento já passaram 7 anos do início do cancro e 5 anos do auto transplante! Nunca desistam! Nunca! Acreditem que é possível! Se eu estou a conseguir vencer a guerra, vocês também podem conseguir. Ao longo de todo este tempo conheci pessoas excecionais: médicos (que se tornaram verdadeiros amigos), enfermeiras, colegas de doença... Tanta gente linda! Para mim a vida passou a ter muito mais sentido. Tenho vivido situações lindas que em outra altura passariam ao lado. Posso dizer com alegria que tudo isto valeu a pena! Acreditem em vocês!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Olá!Ao ler ‘testemunhos’ fico sensibilizada com a vossa coragem…Mas depois fico a pensar que passei pelo mesmo (...) Só que eu não tive...maria regadas, 66 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2010Ler mais
  • Quando me foi diagnosticada a doença, a questão que coloquei imediatamente ao médico foi a de saber o que é que se tinha de fazer para atacar...Carlos Pereira, 49 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2000Ler mais
  • Venho aqui deixar o meu testemunho enquanto doente: a nossa primeira reação quando recebemos a notícia é de incredulidade. Só pensamos que não nos...Nuno Paisana, 38 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2003Ler mais
  • Partilho este capítulo da minha vida com todos aqueles, que no desfolhar do livro das suas vidas, lhes foi diagnosticado um cancro. Palavra que nos abala e...Barbara Machado, 25 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2010Ler mais
  • A minha relação com o cancro remonta a outubro de 2002, tinha na altura 15 anos feitos há pouco tempo e enfrentava um novo mundo com a passagem do ensino...Bruno Ramalho, 25 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2002Ler mais
  • Tinha 14 anos quando me foi diagnosticado o cancro. Fui sempre feliz durante esse tempo. Cortei o cabelo e arranjei imediatamente uma alcunha a mim mesma -...Marine Antunes, 22 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2004Ler mais
Apoios & Parcerias