Voltar

Vânia Filipa Carreira Marques

26 anos Colo-Rectal (Intestino), Familiar
Boa noite. Por vezes pensamos que nada nos acontece ou a um familiar mas o cancro não escolhe idades, género, religião... e quando vem abala tudo e todos. O meu pai foi diagnosticado com cancro nos intestinos e eu na altura nem sequer sabia o que isso era. Como era nova não me informavam de nada e estava a leste de tudo o que se passava, apenas via o meu pai em casa quando era raro ele lá estar, pois dedicava-se muito ao trabalho para nos proporcionar uma vida boa. Comecei a vê-lo mais fraco e diferente mas sempre pensei que aquilo passasse, que fosse uma doença como tantas outras que tinha cura, que tomava os remédios e ficava bom mas infelizmente não... Teve uma fase em que eu achava que estava bom, já não fazia quimioterapia e ia trabalhar normalmente, até que ficou outra vez mais fraco passados anos e a partir daí foi sempre a descer... Só me apercebi do quanto estava mal quando era tarde de mais, nos últimos dias de vida dele em que já não falava e já não "o conhecia" como sendo meu pai, aquele homem que não chateava ninguém, que fazia tudo pela família e que era muito essencial para esta que se acabou por desmoronar... No último dia de vida dele, quando entrei no quarto e o vi a tomar morfina, foi quando eu percebi que já tinha perdido o meu pai... Apenas quero dizer para aproveitarem a vida e darem o máximo de força aos vossos familiares ou amigos que tenham cancro, seja ele qual for. A qualidade de vida de um doente oncológico é muito importante, na minha opinião esta é uma mais valia para um doente prolongar a sua vida perto dos seus familiares. Eu perdi o meu pai e perdi tudo. Via-o como um exemplo a seguir mas também acho que agora ele está a olhar por mim como sempre fez em vida... As melhoras a todos os doentes oncológicos ou, pelo menos, o melhor possível.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Durante dois anos lutei com o meu querido pai contra a doença que, infelizmente acabou por ser mais forte.Contudo, tenho de enaltecer a força e a...Sofia Nobre, 28 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2010Ler mais
  • Foi diagnosticado um cancro ao meu companheiro. Os médicos aconselharam que fosse operado o mais rápido possível. Tratámos de tudo para que a...Ana S, 41 anos, Colo-Rectal (Intestino)Ler mais
  • Cancro do rim em 1999. Cancro do cólon em 2010. Recidiva do mesmo cancro em 2012 (há dois meses). Encontro-me à espera de nova operação dentro de pouco...Virgilio, 68 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2010Ler mais
  • Tenho 37 anos e sou mãe de um rapaz de 11 anos que é a minha vida! Mas há 16 meses atrás tudo mudou quando me foi diagnosticado um adenocarcinoma no...olívia silva, 37 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2010Ler mais
  • A 3 de janeiro de 2006, depois de ter acordado de uma endoscopia alta e toque rectal, a que fui submetida, na sequência de várias dores e comportamentos...Manuela Amaral, 58 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2006Ler mais
  • Foi a insistência do meu médico de família (bem-haja por isso!) que me levou a fazer a colonoscopia que revelou uma lesão maligna no intestino. Fui...Maria Pereira, 60 anos, Colo-Rectal (Intestino), 2011Ler mais
Apoios & Parcerias