Voltar

Vera Baltar

31 anos Linfoma Hodgkin, 2005, Doente
Em fevereiro de 2005, devido a uma dor que sentia numa axila, fui ao médico, que na altura optou por fazer uma ecografia seguida de biópsia, em que foi detetada a presença de células malignas. A notícia caiu que nem uma bomba, já que o meu pai na altura ainda estava a recuperar de um cancro nos intestinos. Chorei muito, mesmo muito, contudo já no IPO na primeira consulta após nova biópsia em que foi diagnosticado um Linfoma de Hodgkin, respirei fundo e encarei o problema de frente. Fiz 12 sessões de quimioterapia, durante cerca de 6 meses, foram tempos muito, mas muito difíceis, com muito sofrimento meu e de quem estava ao meu lado, mas com a ajuda da minha família e de alguns amigos e sempre mantendo o espírito positivo consegui superar. Em outubro de 2010 acabei por ter alta do IPO. Infelizmente já passei pela situação de doente e familiar de doente e em ambas as situações é muito difícil! O meu conselho é que se viva um dia de cada vez, sem pensar muito no amanhã! Quanto ao IPO, no meu caso a equipa é fenomenal, nem tenho palavras!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Tudo começou com um “alto” no pescoço. Pequeno. Não me incomodava e apenas dei por ele por acaso, ao ver-me ao espelho. Achei estranho e tentei...Cláudia Bandeira, 31 anos, Linfoma Hodgkin, 2010Ler mais
  • Eu que sempre gostei de estar com os meus amigos e poder ir a um bar e beber um copo, de um momento para o outro fiquei intolerante ao álcool. Mal...Janine Pinto, 27 anos, Linfoma Hodgkin, 2018Ler mais
  • Julgo que a minha história poderá ajudar alguém doente e a sua família e também a demonstrar que o cancro não...Paulo Batista, 54 anos, Linfoma Hodgkin, 2006Ler mais
  • Olá! No dia 7 de junho foi-me diagnosticado um Linfoma Hodgkin. No momento em que recebi a notícia a minha mente desligou-se totalmente porque eu sempre...Tiago Duarte, 19 anos, Linfoma Hodgkin, 2012Ler mais
  • Bem, nem sempre é fácil escrever aquilo pelo que passamos. Nem sempre é fácil transmitir o que sentimos através de palavras. Mas após algum tempo a...Filipe Garcia, 21 anos, Linfoma Hodgkin, 2008Ler mais
  • Não existem palavras certas para descrever aquilo que senti e aquilo que sentiram as pessoas que me rodeiam quando descobrimos que algo não estaria bem....Ana Melo, 19 anos, Linfoma Hodgkin, 2010Ler mais
Apoios & Parcerias