Notícias

Voltar

Orquestra Clássica do Centro e LPCC promovem concerto comemorativo do Dia do Voluntariado Comunitário

23 de Maio 2019
Orquestra Clássica do Centro e LPCC promovem concerto comemorativo do Dia do Voluntariado Comunitário
A iniciativa, de entrada livre, terá lugar a 23 de maio (quinta-feira), pelas 21h30, no Pavilhão Centro de Portugal, e pretende homenagear todos os que cumprem a ação voluntária em prol da luta contra o cancro.
Para assinalar o Dia do Voluntariado Comunitário, o Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC.NRC), em parceria com a Orquestra Clássica do Centro, convida para o Concerto de 23 de maio, quinta-feira, pelas 21h30, no Pavilhão Centro de Portugal em Coimbra.
Neste concerto serão interpretadas obras de José Firmino - Abertura Clássica, o Concerto para Clarinete em Lá maior, K 622 - Wolfgang Amadeus Mozart (1756 - 1791) pelo Solista César Ramos, e a Sinfonia Nº 4 em Si Bemol Maior, OP 60 - Ludwig van Beethoven (1770 - 1827).  Um concerto da Orquestra Clássica do Centro, com César Ramos (clarinete) e direção de  Diogo Costa.
O Dia do Voluntariado Comunitário foi criado em em 2018, no âmbito das comemorações do 50º aniversário do Núcleo Regional do Centro da Liga Portuguesa Contra o Cancro, tendo sido instituída esta celebração anual no último domingo de maio.
O concerto comemorativo serve, mais uma vez como forma da LPCC.NRC agradecer publicamente, valorizar e estimular aqueles que cumprem a ação voluntária em prol da luta contra o cancro.  A participação é gratuita e aberta à comunidade em geral.
O concerto de 23 de maio conta, ainda, com o apoio da Câmara Municipal de Coimbra. 

......................................................

Sobre o Programa

Abertura Clássica – José Firmino
Concerto para Clarinete em Lá Maior, KV 622 – W. A. Mozart  (1741–1819)
Solista – César Ramos
Sinfonia Nº 4 em Si Bemol Maior, OP 60 – L.  v. Beethoven ( 1770 – 1827)  
 
Com a participação de:
 
Orquestra Clássica do Centro (OCC)
A OCC apresentou-se pela primeira vez, enquanto orquestra profissional, em dezembro de 2001, na altura com 25 elementos e com a denominação de Orquestra de Câmara de Coimbra. Em 2002, a Orquestra passou a ser composta por 32 elementos, sendo esta a sua atual constituição. Em 2004 alterou a sua designação para Orquestra Clássica do Centro. Está abrangida pela Lei do Mecenato Cultural (atual Estatuto dos Benefícios Fiscais). Tem contado ao longo dos anos com o contributo solístico e de regência de notáveis figuras do nosso panorama musical nacional e internacional. Com direção de maestros como José Eduardo Gomes, Cesário Costa, Rui Massena ou Luís Carvalho tem como maestro titular desde setembro de 2018 Jan Wierzba. Além da sua formação clássica habitual realiza pontualmente concertos com uma densidade tímbrica e orquestral sinfónica além das formações de câmara (trios, quartetos e quintetos, entre outras), disponibilizando assim um leque variado de programas/repertórios, em função das circunstâncias e / ou locais. Organiza concursos, conferências e festivais para além das atividades exclusivamente concertísticas. Ao longo destes anos 18 anos, a OCC tem realizado o seu trabalho ininterruptamente.

Maestro Diogo Costa
Concluiu com distinção a sua Pós-graduação no Royal Northern College of Music de Manchester - Inglaterra, onde frequentou o programa de Mestrado em Direção de Orquestra sobre a orientação dos professores Mark Heron e Clark Rundell. Aqui, teve a oportunidade de trabalhar como maestro assistente de Juanjo Mena, John Storgårds e Sir Andrew Davis na BBC Philharmonic de Manchester e Vasily Petrenko na Royal Liverpool Philharmonic Orchestra. Diogo iniciou os seus estudos em Direção de Orquestra em 2010 na Academia Nacional Superior de Orquestra – Metropolitana, onde estudou com o conceituado pedagogo Jean-Marc Burfin. Em complemento dos seus estudos, tem feito Masterclasses com Sir Mark Elder, Martyn Brabbins, Douglas Bostock, Johannes Schlaefli, José Pascual Vilaplana, Jean-Sébastien Béreau e Emilio Pomarico, dirigindo orquestras como a BBC Philharmonic Orchestra, BBC National Orchestra of Wales, Manchester Camerata e a Argovia Philharmonic. Em dezembro de 2013, participou, como maestro assistente do maestro Boris Gruzin, na produção do bailado “Cinderela” de S. Prokofiev com a Orquestra Sinfónica Portuguesa e a Companhia Nacional de Bailado. Como maestro convidado estreou-se, em 2018, com a BBC National Orchestra of Wales, com a BBC Philharmonic Orchestra e com a Orquestra Sinfónica Portuguesa. Para além destas, dirigiu a Orquestra Clássica do Sul, o Grupo de Música Contemporânea de Lisboa,  a Orquestra Académica e o Brass Ensemble da Metropolitana, a Orquestra de Cordas dos alunos da Casa Pia de Lisboa, a Orquestra de Sopros Geração, a Stockport Symphony Orchestra, a Wilmslow Symphony Orchestra e a West European Studio Orchestra com a qual tem vindo a gravar em diversos estúdios, entre eles o lendário Abbey Road, em Londres.

César Ramos
Foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, terminou os cursos de Clarinete e Saxofone no Conservatório Regional e de Música de Coimbra, e licenciou-se em Clarinete pela Escola Superior de Música de Lisboa. É ainda mestrando em Performance de Clarinete na Escola Superior de Artes Aplicadas (ESART) de Castelo Branco sob orientação do professor Carlos Piçarra Alves. Foi solista na Orquestra do INATEL e 1º clarinete na Orquestra Portuguesa da Juventude, Nacional dos Templários, Filarmonia das Beiras, Invicta de Clarinetes, Grupo de Instrumentos de Sopro, e na Banda Regional Militar do Centro onde foi condecorado e recebeu louvor. Co-organizou e participou nos Congressos Internacionais de Clarinete “ClarmeetOporto”; trabalhou com vários clarinetistas internacionais tais como Michel Arrignon, Richard Stolzman, Philippe Cuper, Alessandro Carbonare, Micael Collins, Gregory Smith, Karl Leister e Jesus Villa-Rojo. Lecionou clarinete no Conservatório Regional de Coimbra, no Conservatório de Música da Covilhã e no Conservatório Filarmónico de Pombal. Organizou e coordenou a Masterclasse de Clarinete Clarinet’omania na Filarmónica Artística Pombalense (FAP, 2016). Atualmente leciona clarinete e saxofone no Conservatório de Música David de Sousa (Figueira da Foz) e na Academia de Música da FAP. Desenvolveu paralelamente aptidão para Direção de Orquestra e terminou o 1º ano do Curso Livre de Direção de Orquestra na Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo (ESMAE) do Porto trabalhando com os maestros António Saiote e Robert Houlihan. Dirigiu a Orquestra Sinfónica de Sopros da Escola Profissional de Artes da Covilhã (EPABI) e as Orquestras Para-Sinfónica Juvenil de Coimbra, de Câmara de Coimbra e Clássica do Centro. Fundou e dirigiu a orquestra de clarinetes ‘Sonoridades’ e o quarteto de saxofones “FourSax”. Atualmente é 1º clarinete solista da Orquestra Clássica do Centro, maestro da Orquestra do Conservatório de Música David de Sousa e maestro da banda Filarmónica Artística Pombalense.
 
Por Núcleo Regional do Centro a 17 de Maio 2019

Voltar

Sugestões

Apoios & Parcerias