Voltar

catarina Hnriques

40 anos Cérebro, 2001, Doente
Em 2001, com 29 anos, tive uma convulsão epilética, sem saber o que era assustei-me e fui levada para o hospital. Fiz uma TAC seguida de RM, mostraram um enorme tumor cerebral. Fiquei sem chão. Nessa noite conheci o homem que me operou e me salvou (gosto de pensar assim), tive a sorte de o apanhar a fazer banco no hospital. A primeira pergunta que lhe fiz foi: “Como está a minha mãe?” – Ele respondeu "não está nada bem, mas isso agora não interessa". Não me explicou grande coisa no momento, também não estava em condições de ouvir nada. Já sabia o que me esperava. Lá fora esperavam-me amigos e família. Saí já deitada numa maca para ser transferida e internada. Fui operada e, 36 horas depois, nem dá tempo para ter medo, tal é a bateria de exames e preparação que se tem de fazer. Fiz muitas perguntas, ninguém me soube responder “ porquê eu? Sem sintomas, qualquer dor, alimentação saudável, desporto, stress sim, esse causador de doenças (...)”.Foi muita dor de alma, na alma e no corpo. Não sei ao que me agarrei, mas acho que todos encontramos forças que não sabemos ter nestes momentos. Em 2005 uma recidiva, vinha mais agressivo, volta a abrir, cortar e desta vez radioterapia. Fiquei careca e o cabelo liso ficou frisado (ai o meu cabelo!). Mas isso não era nada, estava VIVA! E isso passa a ser o mais importante. A dimensão dos problemas, o valor dos nossos dias, dos que nos são queridos, do que nos faz bem. Deitar fora o que nos faz mal. Faço uma RM a cada 4 meses para o resto da vida e serei epilética para sempre. Mas trabalho, faço desporto, conduzo (tenho epilepsia controlada por medicamentos) e sou muito feliz.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Todos quanto a conheciam são unânimes em o afirmar: era uma senhora super ativa, cheia de vida e força, muita garra... Como é que é possível? Parece...Ana, 32 anos, Cérebro, 2008Ler mais
  • Há 9 anos foi diagnosticado, à minha irmã mais velha, um cancro na cabeça. Depois de uma luta que não foi justa, e depois de muito sofrimento, partiu...carla, 35 anos, CérebroLer mais
  • Após 9 meses de dores de cabeça frequentes e intensas, aliadas a náuseas, recebi o pior dos diagnósticos: tumor cerebral (…). Às 18h daquele dia...Paula, 32 anos, Cérebro, 2010Ler mais
  • Percorri com atenção os diversos testemunhos aqui apresentados e não consegui, de certo modo, chegar a uma conclusão: não há aqui testemunhos de...Maria Edite, 54 anos, Cérebro, 2001Ler mais
  • A doença oncológica sempre me aterrorizou. O meu pai, falecido há 19 anos, teve uma leucemia linfocítica crónica. Doente cardíaco, os médicos nunca o...Anabela Cardoso, 48 anos, Cérebro, 2010Ler mais
  • A 27 de Novembro de 2011 acordei durante a noite a vomitar, com sinais de incontinência e mordedura da língua. Fui orientada pela minha médica para...Ana Rey, 36 anos, Cérebro, 2012Ler mais
Apoios & Parcerias