Voltar

Elisabete Ferreira

39 anos Melanoma, 2010, Doente
No ano de 2010 foi-me diagnosticado um melanoma maligno. Ao receber uma notícia destas ninguém esta à espera, tende-se a não querer acreditar no que esta a acontecer... A fase do choro chega posteriormente, aliás está presente no dia-a-dia. Recordo que era uma constante na minha cabeça, aliás o próprio nome "cancro" assusta, e numa fase inicial não consegui falar sobre o assunto sem chorar e chorar. No fundo parecia que o céu tinha caído em cima da minha cabeça, eu que adorava o mar, o sol, e a praia, agora tinha um problema destes. Só passado algum tempo se consegue falar abertamente sobre o problema sem voz trémula e lágrima nos olhos. Fiz uma cirurgia com anestesia local para retirar o sinal e, após análise, foi detectado melanoma maligno. As nossas energias têm de estar centradas na resolução do problema e não no porquê, mesmo que haja novos obstáculos no caminho... Pois bem, fiz uma nova cirurgia para alargamento da zona de segurança e retirada do gânglio sentinela, este foi para análise e estava "infetado" com uma metástase. Voltei a fazer uma nova circurgia para esvaziamento axilar. Num mês fiz duas circurgias com anestesia geral, quando o médico me transmitiu o resultado e me disse que tinha que voltar a ser operada... outro céu caiu novamente em cima da minha cabeça. Mas não "baixei os braços", iria fazer tudo o que fosse preciso e, com pensamento positivo, eu ia conseguir. A recuperação desta cirurgia foi muito complicada pois o braço ficou com movimentos muito reduzidos e pouca sensibilidade, mas com a ajuda do meu médico, a quem muito agradeço, consegui ultrapassar pouco a pouco os obstáculos. Acho importante deixar este testemunho poque todos os dias aparecem casos novos deste ou de outro tipo de cancro, o importante é pouco a pouco irmos derrubando, destruindo as pedras que se colocam no nosso caminho, vive-se o dia-a-dia pensando nas vitórias que já tivemos e se alguma pedra mais dura persiste em não desaparecer, temos que ser persistentes, vamos conseguir ultrapassar. Não consigo dizer de onde vem a força para lutar... Mas garanto que os familiares, os colegas, os amigos, são muito importantes... Até mesmo um simples sorriso tem uma importância que em tempos poderia não ter. A minha luta continua, porque tenho que ter uma vigilância e controlo para ver se entretanto nenhum orgão ficou afetado... Porém, uma certeza eu tenho... nunca vou desistir. Força a todos os doentes e seus familiares.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Olá,Não sei bem por onde começar, já sabia que tinha melanoma a desenvolver, pelo menos 4 anos antes de o poder retirar, que...João Silva, 55 anos, Melanoma, 2016Ler mais
  • Fui operada a um melanoma, fez 5 anos em janeiro. Na altura não me apercebi muito bem da gravidade da situação, tive conhecimento que era de grau 2 e...Anónimo, 67 anos, Melanoma, 2008Ler mais
  • Quando me foi diagnosticado um melanoma, fiquei por uns instantes parada, parada no tempo, na cadeira, no olhar, na respiração... Nesses breves segundos,...Margarida Monge, 48 anos, Melanoma, 2005Ler mais
  • Em 2001, com 23 anos, foi-me detetado um melanoma da coroideia, ou seja, um tumor intra-ocular.Numa manhã de primavera, quando estava a...Susana, 38 anos, Melanoma, 2001Ler mais
  • Em 2011 entrei na universidade, tudo corria bem…Amigos novos, convívio e muita diversão. No fundo é o que qualquer jovem gosta de experienciar nesta...Beatriz, 19 anos, Melanoma, 2012Ler mais
  • A minha filha era linda. Morena, olhos grandes, pele de cetim. Aos 18 anos, um pequeno sinal preto, redondo, bonito apareceu no meio da sua face. Ficava-lhe...Ana Pinto, 47 anos, Melanoma, 2004Ler mais
Apoios & Parcerias