Voltar

lucinda maria duarte de oliveira pinto de almeida

50 anos Mama, 2006, Doente
O dia da execução do "bicho": 5 de julho de 2006. Meio-dia, marcava o relógio na parede do bloco operatório. Sentia-me muito bem-disposta, mesmo depois de ter ouvido a médica radiologista dizer que eram vários os "bicharocos". Os médicos e enfermeiros muito simpáticos sempre em amena conversa. A dada altura o anestesista pediu para contar até três e foi uma pedrada até às seis da tarde. Foram seis horas de corta e cose e decisões que tiveram de ser tomadas sem que se tivesse previsto. Uma equipa excelente, a quem muito agradeço e por quem tenho um certo carinho. O "bicho" foi exterminado sendo a sua raça do piorio, tendo-se obtido resultados positivos. Conclusão: Carcinoma ductal invasor, de alto grau nuclear, grau III, constituído por três nódulos tumorais independentes, o maior com 23 mm e metástases em três dos 28 gânglios axilares dissecados. Depois de toda esta análise, seguiram-se seis ciclos de quimioterapia, três com FEC 100 e mais três com Taxotere que me deram cabo do meu rico esqueleto. Pois é! E aqui estou eu, viva e com a barriga toda esburacada das injeções e comprimidos à mistura para vos contar esta história e muitas mais que por mim se passaram e ainda virão a acontecer. A vida é muito bonita para que desistamos de lutar por ela. Hoje, já com a reconstrução quase terminada e muitos projetos concretizados, estou aqui a deixar o meu testemunho de vida. A barreira dos cinco anos está quase lá e tenho a certeza que vou ultrapassar.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Só no ano de 2013, com a ajuda da minha psicóloga, consegui dizer “tive cancro”.Só hoje consigo escrever sobre o assunto, esperando que o meu...Maria DIAS, 55 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Em dezembro de 2015, uma semana depois do meu filho completar 2 anos, estava longe de imaginar que a minha vida iria dar uma volta de 180°.Andava eu...Manuela Pina, 43 anos, Mama, 2015Ler mais
  • Quando estamos perante o diagnóstico de cancro, em nós ou nos nossos entes queridos, tudo à nossa volta parece desmoronar-se e subitamente sentimo-nos...Maria, 55 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Pois é minhas amigas. Não desanimar é a principal terapia. Depois de um dia complicado de trabalhos em casa, enquanto tomava um banhinho, reparei que na...ana barroco, 49 anos, Mama, 2009Ler mais
  • Tinha acabado de saber que a minha filha ia ser internada para fazer uma laparoscopia com vista a determinar as causas da infertilidade com que lutava há...helena santos, 56 anos, Mama, 2010Ler mais
  • Queria deixar aqui o meu agradecimento a toda a equipa que me está a seguir do Hospital de Viana do Castelo e da equipa de radioterapia do Hospital...elisabete afonso, 48 anos, Mama, 2018Ler mais
Apoios & Parcerias