Voltar

sofia

30 anos Linfoma Não Hodgkin, 2010, Familiar
Olá a todos... Lia os testemunhos anteriores e revia a minha história. Não importa que tipo de cancro é ou que diagnostico tem, a dor e forma de lutar, essas sim, são iguais. Desde agosto de 2010 que via o meu pai ser acometido por faltas de ar, má disposição e emagrecimento quase vertiginoso. Depois de ter gritado com ele, lá foi ao médico fazer os exames. Ao mesmo tempo, várias noites seguidas corria com ele para o hospital porque as dores eram insuportáveis. Veio o diagnóstico e a cruel dúvida passou a certeza, linfoma não-hodgkin com neoplasia gástrica. Havia esperança que ele se recuperasse apesar de tudo o que os médicos diziam. Havia o risco de perfuração do estômago com o avançar da quimioterapia. E foi isso que acabou por acontecer. Nesse dia ia morrendo nos meus braços em casa mas ainda não era a sua hora. Um mês passou no hospital, fizeram a extração do estômago, parte do pâncreas e baço, mas o tumor estava metastizado também nos pulmões e nos rins. Lembro com frequência a cara que ele fez quando na primeira sessão de quimioterapia, ao receber a merenda viu que tinha lá uma barra de chocolate... Os seus olhos brilharam… O meu pai perdeu a sua luta no dia 4 de janeiro deste ano, foi a perda mais dolorosa que alguma vez tive que experienciar, mas sei que há-de estar a olhar por mim. A todos os doentes, familiares e amigos mando um abraço muito forte de coragem e não desistam da vida.
Voltar

Outros Testemunhos

  • Olá, eu tive um linfoma-marginal no pescoço. No início, foi difícil aceitar o diagnóstico, mas por incrível que possa parecer, as primeiras palavras...luis frazao, 45 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2007Ler mais
  • Olá a todos! Soube mais ou menos há cerca de um mês que o meu avô tem cancro. Desde o início desta luta que estou ao lado dele, todos os dias. O meu...Margarida Mendes, 17 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2015Ler mais
  • Venho aqui deixar o meu testemunho enquanto doente: a nossa primeira reação quando recebemos a notícia é de incredulidade. Só pensamos que não nos...Nuno Paisana, 38 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2003Ler mais
  • O cancro pode derrubar sonhos e impossibilitar projetos. Mas também pode ajudar a crescer e a ver a vida de uma perspectiva totalmente diferente.Tudo...Susana Lino, 42 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2004Ler mais
  • A minha relação com o cancro remonta a outubro de 2002, tinha na altura 15 anos feitos há pouco tempo e enfrentava um novo mundo com a passagem do ensino...Bruno Ramalho, 25 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2002Ler mais
  • Partilho este capítulo da minha vida com todos aqueles, que no desfolhar do livro das suas vidas, lhes foi diagnosticado um cancro. Palavra que nos abala e...Barbara Machado, 25 anos, Linfoma Não Hodgkin, 2010Ler mais
Apoios & Parcerias