Voltar

Tânia Neto

18 anos Tiróide, 2009, Doente
O que está aqui escrito é mais um desabafo que um testemunho. É difícil encontrar alguém com quem possamos falar sobre este tema ainda tão tabu na sociedade. Descobriram a minha doença quando eu tinha apenas 14 anos. Na altura não pensei muito sobre isso. Continuei a ir às aulas, a estar com os meus amigos, mal eu sabia o quanto a minha vida ia mudar. Todas as semanas tinha consultas e exames médicos. Os meus pais acompanharam-me sempre. Um mês após ter sido diagnosticada com cancro da tiroide, tive uma consulta com o cirurgião. Foi a primeira vez que ouvi as palavras "tumor maligno". O meu tio e o meu avô tinham morrido com "tumores malignos", pensei que tinha chegado a minha altura também. Disse aos meus pais que queria lutar e fazer todos os possíveis para ficar saudável outra vez. Informei-me sobre esta doença, desde medicamentos a tratamentos, complicações cirúrgicas e exames médicos. Debatia com os médicos sobre o caminho a seguir. Não ia apenas cruzar os braços, tinha que tomar controlo da minha vida. Não gostava quando as pessoas diziam que eu estava doente. Nem que dissessem "coitadinha". Tive pessoas que se afastaram de mim por pensarem que seria contagioso. Lutei com todas as forças que tinha. Os meus pais, a minha família e os meus amigos deram-me as forças que possuíam também. Cheguei a revoltar-me e a pensar que não valeria a pena continuar a lutar. Estava demasiado cansada. Depois pensava que existiam pessoas em pior estado que eu que lutavam sem parar. Elas foram a minha inspiração e foi também por elas que lutei. Para fazer algo com a minha vida, para mudar a vida de outras pessoas. Bem, tenho 18 anos, já fui operada três vezes. Já fiz tratamentos e exames médicos múltiplos, perdi a conta das consultas e análises. Tive um contratempo. Mas com a ajuda das pessoas certas estou a conseguir ultrapassar. Aliás, ainda tenho que agradecer toda esta situação. Apercebi-me que o meu futuro teria de ser a ajudar os outros. Estou a tirar um curso ligado à área da saúde e faço voluntariado. A todos aqueles que estão a passar pela doença oncológica digo apenas que a vida é injusta e faz-nos cair muitas vezes, temos de lhe mostrar que somos fortes o suficiente para nos voltarmos a levantar!
Voltar

Outros Testemunhos

  • Boa tarde!Em 2011 foi-me diagnosticado cancro da tiróide, tinha eu 21 anos. Nessa altura, fiquei bastante triste e revoltado com tudo. Mas estou aqui e...Filipe Simão, 23 anos, Tiróide, 2011Ler mais
  • Foi no ano de 2011. Arrasou a minha vida, fui com ela ao médico depois de uma biópsia, então pensei: "não há-de ser nada, vai correr tudo bem". Mas...PAULA PAIS, 44 anos, Tiróide, 2011Ler mais
  • Olá! Eu sou a Ulrika e tive um cancro na tiróide - clinicamente falando um carcinoma papilar da tiroideia. Já passaram 12 anos, mas não me esqueço do...Ulrika, 37 anos, Tiróide, 2000Ler mais
  • Cancro... Uma pequena palavra mas com uma conotação demasiado negativa na sociedade em que vivemos, embora hoje em dia exista cada vez mais uma maior...Patricia, 25 anos, Tiróide, 2011Ler mais
  • Em meados de 2009 apercebi-me de uma “massa” na região do pescoço. Desde logo estranhei a sua presença... Além disso sou profissional de saúde....Susete, 27 anos, Tiróide, 2009Ler mais
  • Vou dar o meu testemunho para chamar as pessoas para a prevenção e para lutarem sempre, mesmo quando já não há solução. Faltavam dias para o Natal de...Isabel Santos, 54 anos, Tiróide, 2004Ler mais
Apoios & Parcerias